Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Uma tara

Ando há uns tempos a receber uns emails de uma médium visionária chamada Tara. Primeiro eu ia receber «uma ajuda do destino verdadeiramente incrível». Só tinha de entrar em contacto com a médium... Como nada fiz, no email seguinte a Tara estava triste comigo: «Realmente não compreendo! Não tive nenhuma resposta sua. (...) Passei vários dias a trabalhar gratuitamente na sua grande consulta de vidência pessoal.»
De facto, sou horrível. A senhora médium visionária a dar o litro e eu... moita.
Seguiu-se nova missiva: «Uma conjunção planetária raríssima e incrivelmente benéfica» estava prestes a acontecer-me. Eu tinha de agir. A chave da minha glória estava, porém, com a amiga Tara. Era preciso ir buscá-la. E eu, para não variar, não fui.
Há uma semana, mais um email: «Sónia Morais Santos: Esta noite, depois de ter tido uma estranha visão premonitória, precisei realizar seu tema astral com toda a urgência! A sua vida, as provações que sofreu e, sobretudo, o seu futuro, foram revelados a mim. A sua situação difícil pode ficar a seu favor em apenas alguns dias. Para isso é preciso contrariar os planos de uma pessoa conhecida, que vai fazer tudo para destruir a felicidade que espera por você.»
Mais uma vez... não liguei à Tara. Uma mal-agradecida, é o que eu sou. Hoje, ela enviou-se este email:
«Realmente, já não sei o que pensar, Sónia Morais Santos. Você tinha todos os elementos nas suas mãos, hesitou e se calhar tomou uma má decisão. Há-de não fazer nada, correndo o risco de se tornar uma indefesa presa da pessoa que quer lhe fazer mal, o que agravará a sua situação para sempre... ».
E é isto. A Tara a querer ajudar-me, a Tara a fazer tudo por tudo para que uma pessoa má não me lixe a vida para sempre, e eu aqui a trabalhar e a ir à mercearia e a limpar rabos como se nada fosse. Com franqueza! Ele há gente que não merece o ar que respira.
Bom, já sabem. Se alguma coisa me acontecer... a culpa é minha e da minha ingratidão.E poderão sempre dizer: A Tara bem avisou!


23 comentários

Comentar post

Pág. 1/3