Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Rota da Saúde #5: As crianças não precisam disso tudo

Smartphones ou tablets, roupa de marca, carro xpto para serem deixados em grande estilo à porta da escola, colégios caros, aulas de mandarim, judo, equitação, golf, harpa. Não estou a dizer que é mau se tiverem tudo isto (se bem que, no caso das actividades extra-curriculares, é sabido que o excesso não traz vantagens, pelo contrário). O que estou a dizer é que não PRECISAM disso tudo. Está provado: aquilo de que as crianças mais precisam é... amor. Atenção. Sentir que os pais as valorizam, as consideram, as amam. 

Catarina Prior, pediatra do neurodesenvolvimento do Hospital Lusíadas Porto explica que não há propriamente sinais de alarme específicos, porque eles podem traduzir outras situações problemáticas, mas aponta alguns que podem ser sinónimo dessa falta de atenção: "Nos mais pequenos birras excessivas e desadequadas à idade, bem como agressividade (auto ou heteroagressividade), constituem frequentemente formas de chamada de atenção aos pais. Se pensarmos um pouco percebemos que não é incomum que as crianças recebam maior atenção quando estão a ter comportamentos desajustados, incorretos: quando uma criança se porta mal, os pais vão parar o que estão a fazer para a repreender; ao fazê-lo, estão a dar à criança a atenção que procurava e, por essa via, a reforçar positivamente o mau comportamento que pretendiam extinguir…Também o isolamento, a pouca curiosidade e a escassa interação com o meio, assim como alterações do sono e do comportamento alimentar habitual, deverão ser motivo de alerta para os pais, bem como comportamentos de insegurança, como querer dormir com os pais e não querer separar-se deles. O desenvolvimento de medos excessivos pode também ser um sinal de que a criança sente a falta da atenção dos pais. Em crianças mais velhas e adolescentes, estes sintomas podem também estar presentes, mas também uma dependência exagerada das redes sociais deverão alertar os pais. A diminuição do rendimento académico e o desenvolvimento de comportamentos de risco deverão ainda constituir um sinal de alarme para os progenitores."

Saibam mais sobre as pistas que a criança dá quando precisa de atenção, nomeadamente as consequências para o neurodesenvolvimento, AQUI.

birra.jpg

 

(esta rubrica é uma parceria com a Lusíadas Saúde)

 

1 comentário

Comentar post