Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Rei morto, rei posto (e muito bem posto, por sinal)

No início de dezembro, a minha máquina de lavar morreu. Na altura fiz um post no Instagram sobre o assunto, uma espécie de bonito e agradecido epitáfio à falecida, e logo houve quem achasse que a intenção era ganhar uma máquina nova, como se aqui a decana nestas vidas ainda se desse a estas artimanhas manhosas para conseguir porras à borla. Nah. A máquina nova já abrilhantava a minha cozinha enquanto eu escrevia o elogio póstumo da anterior, ou não fosse ter com a AEG uma relação profissional já de alguns anos, mas é sempre divertido assistir aos acessos nervosos de algumas boas almas (seguramente que são boas almas, lá beeeeem no fundo). Adiante.

A nova máquina tem estado aqui à prova. Entrou linda e cintilante e eu mirei-a com um misto de espanto e desconfiança. Foi assim como se a minha velha assistente se tivesse reformado e, de seguida, entrasse pela porta uma boazona com ar eficiente. Sorri-lhe mas, ao mesmo tempo, torci o nariz. Tão linda, com um óculo enorme, com uma capacidade de carga superior à anterior, toda digitalona, cheia de opções, com apitos para isto e para aquilo e ainda com a possibilidade de secar, além de lavar, o que pode muito bem vir a permitir o fim de poéticas instalações de roupa pendurada em estendais dentro de casa, quando chove. Esperei um mês de labuta para dizer umas palavrinhas sobre ela.

Para começar, quis começar esta relação com o pé direito. Ora, como todos sabemos, não há melhor forma de uma relação ter sucesso do que conhecermos muito bem o outro. Assim, sentei-me muito concentradinha a ler o manual de instruções todo, coisa que (atirem as vossas pedras, nomeiem-me a pior "dona de casa" da História) NUNCA na vida tinha feito. Uma nota só para referir que usei sempre a máquina anterior (a falecida) no programa automático. Sempre. E demo-nos lindamente. Só que esta bichinha nem sequer tem o milagroso botão do automático. Há programas para algodão, algodão ECO, há programas para sintéticos, para lãs, programas para roupa de outdoor (por exemplo, roupa de correr), há um que diz "vapor" (ops, constato agora que não sei ainda para que serve este), há o enxaguamento, e ainda há tudo o que diz respeito à secagem. Os programas de lavagem e secagem ajustam automaticamente a duração e os consumos à quantidade de roupa que colocamos na máquina (mesmo que seja só 1kg!). O programa "Outdoor" tem sido uma excelente surpresa: serve para restaurar a impermeabilização de vestuário outdoor impermeável e com propriedades técnicas. Como? Basta colocar um agente impermeabilizante no compartimento do amaciador, em vez do amaciador. A seguir, selecionar programa outdoor, colocar a roupa na máquina (respeitar a carga máxima do programa) e iniciar a lavagem. 

Para já, está a ser um enamoramento. Sinto-me como nos primeiros tempos das relações. É tudo perfeito. Ela é linda, ela faz tudo o que lhe peço e mais ainda, ela é silenciosa, não incomoda, resolve, surpreende. Tem um sistema que pesa a roupa e, consoante o tipo de peças que vai lavar, decide quando já tem peso que chegue para que fique tudo bem lavado. Espertíssima. Quando faço alguma coisa errada, ela apita e acende luzes, como quem diz "não sejas otária, vê lá o que estás a fazer" mas tudo com delicadeza e sem histerias.  A roupa sai bem lavada, há programas especiais para nódoas difíceis, há programas para deixarem a roupa menos engelhada (que a dona Emília agradece) e o de secagem só ainda experimentei uma vez e parecia uma criança que recebeu um brinquedo novo: a cada peça que retirava seco da máquina era ver-me com um sorriso enorme e uma exclamação "Eishhhhh! Sequinho! Sequíssimo!"  Enfim. Vamos ver como continua esta união, pelos anos fora. Dou-lhe muito trabalho, coitadinha, mas ela tem ar de aguentar tudo sem queixumes. Em troca, prometo continuar a consultar o manual de instruções, a oferecer-lhe produto para combater a acumulação de calcário, e a limpá-la com carinho. Se durar tanto como durou a sua antecessora, será um casamento longo e feliz. 

Captura de ecrã 2020-01-14, às 10.45.18.png

#pub