Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Querido benfeitor endinheirado que lê este blogue:

Recebi uma mensagem da Andreia Medeiros, de 24 anos, aluna de Jornalismo na Universidade dos Açores. Uma mensagem tocante. A Andreia falava-me de uma aluna com dificuldades motoras que entrou este ano lectivo para o primeiro ano da sua licenciatura. Chama-se Mariana, vem da ilha Terceira e agora reside em São Miguel. Chegou cheia de sonhos sobre o curso, sobre o futuro, sobre o seu sonho de vir a ser Jornalista. Infelizmente, não tem tido vida fácil. O quarto da residência de estudantes não era adaptado, não há transporte da residência para a universidade, não há elevador para o bar nem rampa… entre muitos outros problemas de que já todos ouvimos falar (mas insistimos em não ligar muito, afinal, não são os nossos problemas, não é verdade?).
Querido benfeitor endinheirado que lê este blogue: a Mariana precisava muito de uma cadeira de rodas a motor, que lhe daria grande independência. A atrofia muscular que tem nos membros superiores obriga a que tenha de haver sempre alguém que lhe empurre a cadeira manual.
A cadeira custa 2500 euros. Para si, benfeitor, não é nada. É claro que será muito se tiver de ajudar todas as Marianas deste mundo. Mas, se porventura ainda não ajudou aquilo que gostaria de ter ajudado, e se quer apostar em alguém, talvez esta Mariana seja uma boa opção. Não que os outros não mereçam e, na verdade, eu nem sequer a conheço. Mas o email da Andreia fez-me acreditar que se trata de uma miúda cheia de garra, cheia de vontade, cheia de tudo aquilo que, infelizmente, se vai vendo cada vez menos.
A Andreia termina a carta assim: «Eu não consigo cortar as asas à Mariana. Eu não consigo tirar-lhe o sonho. A mãe dela está na Terceira e está cada vez mais inquieta por a filha estar aqui sem a independência que já inha ganho, e pondera levá-la de volta. Não posso deixar que a pessoa mais divertida do primeiro ano se vá embora. Nunca vi tanta determinação em ser Jornalista. Juro-lhe, aquela miúda é uma força da Natureza.»

Querido benfeitor endinheirado que lê este blogue, ou empresa, ou marca vai uma ajuda para a Mariana?

E vocês, queridos leitores, podem partilhar usando os botões aí de baixo, a ver se aparece alguém?

33 comentários

Comentar post

Pág. 1/4