Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Os tratadores do Zoo respondem

"É com muita alegria que o Jardim Zoológico, por mais um ano, conseguiu reproduzir os flamingos-rubros. Aliás, na instalação ainda são visíveis os ninhos construídos pelos vários casais. O animal que identifica na instalação como mais pequeno e de cor acinzentada é, sim, uma cria, que nasceu este ano. Tem agora (início de Setembro) dois meses e uma semana. A nossa alegria!! No entanto para uma cria, pequena e frágil, crescer num grupo de flamingos é uma aventura, cheia de desafios para ultrapassar!! Os flamingos são animais sempre alerta e que respondem a todos os estímulos exteriores (sons de outros animais, barulhos e movimentos mais significativos), movimentando-se sempre em grupo. Os pais-flamingos são muito atentos e protetores, mas o apelo do grupo é muito grande e, quando surge algum motivo de alerta, seguem o grupo, ficando a cria para trás. De todas as crias que já vimos crescer no Jardim Zoológica, esta é a que se coloca, por opção e mais vezes, na periferia do grupo. Notamos este comportamento principalmente nos momentos em que o grupo está mais calmo, a comer ou a descansar. Nas primeiras semanas de vida, as crias de flamingos tentam seguir os pais e o grupo mas como não o conseguem fazer, muitas vezes chegam a ser pisadas pelos adultos. Quando esta cria nasceu, por várias razões, como calor intenso e perigo de predação, tivemos de retirá-la da instalação, para protegê-la. Poderão ser estas 'interferências' a razão para esta cria ter encontrado esta estratégia.
Actualmente, quando o grupo corre pela instalação, a cria já consegue acompanhar, ao menos por alguns minutos, depois parece cansar-se e vai ficando no final do grupo ou simplesmente pára.
Relativamente à cor, sabia que as crias de flamingos nascem totalmente brancas? Com as zonas de pele com um tom rosa claro? A penugem branca, muito densa, é uma forma camuflagem durante os seus primeiros dias no ninho, assim não são detectadas por predadores. Depois começam a sair do ninho para a zona de lama que os cerca e vão ganhando manchas acinzentadas, mas de sujidade. Apesar dos cuidados dos progenitores para as limpar. Após algumas semanas as patas ficam cinza e começa a crescer a penugem também cinzenta. Com um mês e meio os primeiros canudos das futuras penas começam a surgir e nesta altura as crias passam muito tempo a se coçar. Uma cria de flamingo-rubro só adquire a coloração rosa-salmão aproximada à de um adulto com cerca de um ano de idade. E até atingir a maturidade sexual, com 3 anos, consegue-se distinguir os juvenis dos adultos, como acontece no Jardim Zoológico (para olhares mais treinados) relativamente às nossas crias de anos anteriores.

Esperamos que continue a visitar-nos, acompanhando o crescimento saudável dos nossos animais... é essa a razão de todo o nosso trabalho.
Saudações Zoológicas"

É ou não é uma maravilha?
E pronto: ficámos todos a saber que o flamingo não estava a ser alvo de discriminação por ser diferente. É só um bebé e, por isso, não anda tanto metido com os adultos. Boa!

5 comentários

Comentar post