Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Obrigado, pequena Cutxi

Tia Cutxi, muito lhe agradeço os ensinamentos… Eu, cão novo e muito dado à maluqueira, estava bem precisado de escutar a voz dos sábios. Mas, creio que a querida tia se esqueceu de um detalhe: eu sou um cão, não uma cadela. Um acessório blogo-fashion no banho soa-me a coisa gay. Já imaginou que ridículo ficaria com uma touca na cabeça? Não tenho nada contra os gays, não sou um cão homofóbico,   mas daquilo que já conheço de mim sinto-me hetero, sinto um certo frenesim pela cadela vizinha, e posto isto quer-me parecer que muito acessório é coisa que não favorece um bicho que quer ser másculo. Poderão ser ideias antigas, talvez eu não passe de um cãoservador inveterado, a tia dir-me-á.
Também não apreciei a ideia da flor no funil. Lá está: muito efeminado… Mas, mais uma vez, conto com a sua sabedoria. Talvez a tia me mostre a luz e me transforme num cãometrossexual de primeira!

Aceite um latido respeitoso, deste seu
Mojito.

8 comentários

Comentar post