Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Não nasci para ser gaja

Gosto de ser mulher. Gosto de sapatos de salto alto, vertiginosos. E de botas. E de sandálias. E de sabrinas. Gosto de vestidos. Gosto de malas. Gosto de me maquilhar e de perceber como fico infinitamente mais gira depois disso. Gosto de ter as mãos arranjadas. Os pés arranjados. Gosto de não ter pelos. Gosto de ser mulher, com tudo o que ser mulher traz anexo: dizer que não quando, na verdade, queria dizer sim; amuar; preocupar-me com coisinhas que nem sequer têm assim tanta importância; ter um ataque histérico perante a visão de uma barata; precisar de atenção; gostar do jogo da sedução; ser um nadinha fútil; gostar de revistas cor-de-rosa; gostar de bebés; chorar ao ver uma comédia romântica ou um daqueles finais enternecedores; chorar muito sem ser preciso um filme; fazer muitos filmes; apreciar uma boa fofoca, entre outras. Nem todas as mulheres têm tudo aquilo que aqui foi descrito, nem todas gostas das mesmas coisas, mas há linhas comuns nisto de ser gaja. E eu gosto de ser gaja, pronto. Mas serve o intróito para dizer que, apesar de gostar, acho que não nasci para ser mulher. Falta-me o tempo, a paciência e até o desapego ao dinheiro para ser mulher. Senão vejamos:
No outro dia queixava-me de não ter pachorra para me aperaltar todos os dias, sobretudo naqueles em que tenho de acordar muito cedo para levar as criancinhas à escola. Mas a coisa não se fica por aí. Hoje fui arranjar as mãos e as sobrancelhas e o buço (como odeio esta palavra!), que estavam uma desgraça. Fiquei 1 hora e 30 minutos ali parada e já estava a ensandecer. Entretanto, as meninas convenciam-me a fazer extensão de pestanas. Pergunta imediata aqui da bebé: «Quanto tempo é que isso demora?» Mais uma hora e meia. Sim senhora. Se a isso juntarmos a hora da depilação completa, mais as duas horas do alisamento do cabelo (para evitar ter de ir mais vezes ao cabeleireiro, cruzes credo!), dá seis horas. Só assim a brincar. Seis horas de inactividade, sendo que 4 delas são perdidas de 3 em 3 semanas! Isso para além da massa. A massa que se gasta para se ser uma mulher em condições, senhores! Ele é a roupa, ele é os sapatos, ele é as malas, ele é estes tratamentos (já para não falar nas massagens e tal e coiso), ele é a maquilhagem, ele são os cremes, ele é os colares, fios, pulseiras, lenços, cachecóis, óculos, anéis... Uma mulher é um poço sem fundo no que toca à cheta. Um banco ambulante, mas só de levantamentos e poucos depósitos.
Por tudo isto, falta de tempo, de paciência e falta de desapego ao dinheiro, acho que não nasci para ser mulher, apesar de até gostar. De maneiras que... se houver reencarnação a ver se consigo ser homem.

34 comentários

Comentar post

Pág. 1/4