Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Mati

iPhone - Photo 2018-10-13 17_30_48.jpeg

 Foto: Pau Storch

 

É meigo, doce, sensível. Tem mau feitio, consegue ir da felicidade à fúria em 2 segundos, consegue muito do que quer por exaustão. É conversador, gosta de cantar, canta muito e a toda a hora. Atento, observador, capta tudo em menos de nada (ainda ontem disse que não queria jantar "a comida do cão" apenas porque topou que as massas eram iguais). Gosta de companhia para brincar e as brincadeiras preferidas são perseguições de carros a alta velocidade com despistes e muito barulho. Mas também gosta de legos. E adora construir pistas de comboios e fazê-los deslizar pelas linhas. Tem o sorriso mais bonito que já vi e dá abraços que derretem a pessoa por dentro. Mas também é capaz de nos levar à loucura quando decide ser obstinadadamente teimoso. Tem uma vozinha de cana rachada que entra pelo tímpano e fica a reverberar dentro do nosso cérebro (e acho que é isso que nos faz - a todos - dizer-lhe que sim, só para não o ouvirmos mais). Adora comer gulodices, sobretudo bolas de Berlim. E ama praia. E os amigos do verão. E gosta muito da sua escola. E dos manos. E do cão. E é muito mãe, mãe para tudo, para lavar os dentes, para ir à casa de banho, para ver bonecos, para brincar, para contar a história, é mãe para toda a obra. E eu gosto porque é o meu bebé, o meu último bebé querido. 

3 comentários

Comentar post