Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Martim, o perseguido

Acordar com a voz de um filho à beira da cama a dizer:
- Eu não vejo… eu não vejo…
Acender a luz e constatar que o filho se transformou num peixe-balão, quase sem olhos, apenas umas frestas. Dar um salto da cama, vestir qualquer coisa à pressa e voar para o hospital, em pânico sobretudo depois de o ver agarrado ao pescoço, inchadíssimo, com ar de quem vai deixar de respirar no próximo minuto.
Pequeno peixe-balão levou anti-histamínico por via intramuscular e saiu do hospital ligeiramente melhor mas ainda com a cara toda deformada e o corpo todo cheio de borbulhinhas. Alguma coisa que comeu, dizem. Temos de nos manter alerta e, se não melhorar, teremos de voltar nos próximos dias.
A minha vida não é própria para cardíacos. Nem para grávidas.

30 comentários

Comentar post

Pág. 3/3