Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Limetree


Quando um dos mentores da Limetree me apresentou o conceito, há um ano, achei logo muito giro mas... estava numa daquelas fases da minha vida em que tinha tanto trabalho que não conseguia prestar atenção a mais nada. Na verdade, são mais as vezes em que estou nessa fase do que as vezes em que estou noutra fase qualquer (como a fase alforreca, por exemplo), mas enfim. Naquela altura não lhe prestei muita atenção e sei que o despachei algumas vezes a alta velocidade. Não gosto de o fazer mas às vezes, por uma questão de sobrevivência pura e simples, sou obrigada a fazê-lo.
E foi assim que não me apercebi de todo o potencial da Limetree, de como é um conceito espectacular. Depois, a vida meteu-me outra pessoa ligada à Limetree à frente do caminho (e que belo caminho!) e lá voltei eu a ouvir falar daquele projecto, tão giro.
Ainda não sabem o que é? É, como eles próprios definem, «um lugar onde pode guardar momentos da vida dos seus filhos para lhes entregar um dia mais tarde». No fundo, é um álbum digital, onde podem guardar fotos, vídeos, sons, postais, imagens dos trabalhos que eles fazem na escola, e tudo o que quiserem recordar (e que eles recordem) mais tarde. Uma das funcionalidades, só para dar um exemplo, permite escrever uma carta a um filho e fazer com que só possa ser lida num momento predefinido.
A Limetree não é uma rede social - é entre vocês e os vossos filhos. A privacidade é total, só há partilha se quiserem.
E é isto. Estou rendida (demorou mas foi!)

4 comentários

Comentar post