Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Kanazawa

Quando a minha amiga Raquel Brinca nos desafiu a irmos conhecer o restaurane Kanazawa, estava longe de imaginar a experiência que ia ser. Reservámos há uma semana e fomos ontem jantar. O restaurante tem lugar apenas para 8 pessoas. Sim. Só oito. Mas o chef Tomoaki Kanazawa disse-nos que até já abriu só para um cliente, "porque uma só pessoa é suficientemente importante".

O restaurante é completamente despojado, limpo, só paredes e um balcão à volta do qual os 8 clientes se sentam, e atrás do qual está o chef, a preparar o jantar. Os pratos vão chegando e são obras de arte. Belíssimos e, cada um, com uma festa de cor e de sabores. Em cada prato pequenino há uma combinação de ingredientes que nos fazem pensar: "mas como é que isso tudo está aqui?" O resultado? Uma festa para os sentidos. Qualquer semelhança entre este restaurante japonês e todos os outros onde já fui é mera coincidência. Dito de outra maneira: não tem nada, mas absolutamente nada que ver uma coisa com a outra.

Quando ficámos só nós e o chef (porque os outros 4 clientes entretanto saíram) ele contou-nos mais sobre si, o seu percurso, e um pouco sobre a gastronomia japonesa. Também se confessou um apaixonado pela comida portuguesa: bacalhau, morcela, farinheira, chouriço assado. O contraste entre a delicadeza do que ele faz e o facto de também se render a algo tão pesado e "bruto" como os enchidos não deixa de ter a sua graça.

Gostei muito da experiência. É caro, não nego. Mas quando se tem um chef como Tomoaki Kanazawa praticamente em exclusivo para nós, utilizando produtos de grande qualidade... percebemos que temos de pagar por isso. 

kana 2_Fotor_Collage.jpg

kana7_Fotor_Collage.jpg

 Kanazawa: R. Damião de Góis 3, 1400-291 Lisboa. Reservas: Kanazawa.pt

 

 

31 comentários

Comentar post

Pág. 1/2