Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Isto é tudo muito bonito mas para recuperar vai ser o diabo!

Já sabíamos que este fim-de-semana ia ser sempre a aviar. Na sexta tínhamos um jantar em casa de uns amigos e no sábado uma mega festa de outros amigos. Mas tranquilo, pensámos. Na sexta será uma coisa calma, em casa, de maneira que no sábado vamos estar frescos para a festa. Pois... Mas o jantar na sexta acabou por ser tão divertido que chegámos a casa perto das 4h da manhã. Os anfitirões são assim pessoas que abrem a boca e é de chorar a rir (agora nem posso olhar para um deles sem largar logo à gargalhada). Os outros convidados também estavam inspiradíssimos. Vai daí que conversa puxa conversa e a coisa estendeu-se pela noite adentro. Claro que o Mateus decidiu acordar às 7h da manhã e, por isso, esta pessoa que vos escreve dormiu 3 escassas horas. No sábado ainda fomos andar de barco a remos com os miúdos (puxar pelo cabedal sem dormir é tudo o que se quer), e à tarde consegui apagar-me no sofá enquanto o Mateus me ia interrompendo com perguntas sobre o filme que estava a ver (sono entrecortado de 5 em 5 minutos é tudo o que se sonha nesta vida). Mas pronto. A festa de sábado foi tão boa, tão boa, tão boa que faria arrebitar um morto. Foi no Palácio do Príncipe Real e houve um concerto intimista com Pierre Aderne e músicos amigos, e houve vinho, pão, queijo, presunto, croquetes e rissóis (e mais tarde bacalhau à brás), e mais concerto. Absolutamente perfeito. O projecto do Pierre Aderne chama-se Rua das Pretas e basicamente consiste nestes encontros entre músicos, público... e vinho. TÃO BOM!

FESTABRINCAS.png

 Agora, claro, vai ser uma semana a penar por culpa destas bonitas efemérides. A pessoa não vai para nova e as noitadas pagam-se caras.

1 comentário

Comentar post