Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Há muito, muito, muito tempo

Ontem o fotógrafo Leonardo Negrão publicou no Facebook uma foto minha que deve ter a data de 1996 ou 97. Estou com cara de parva (o que também não surpreende, há coisas que não mudam) mas vivia uma das fases mais extraordinárias da minha vida. A foto foi tirada no DNA, um micro-escritório que tínhamos no Diário de Notícias. Desta foto sobra pouco. O Diário de Notícias já não funciona neste edifício da Avenida da Liberdade, o Pedro Rolo Duarte (que devia estar ali mesmo ao lado, à sua secretária) já não está por cá (embora esteja sempre por cá), eu já não sou esta pessoa, os computadores já há muito que foram para abate, os telefones idem, e até a máquina, de rolo, que tirou a foto é já uma antiguidade. Sobra a água do Luso e pouco mais. Tudo passa mas o meu coração tende a permanecer neste tempo que foi de descoberta, de aprendizagem, de deslumbramento absolutos. Saudades. Mas mesmo muitas. 

eu no DNA.jpg

 

4 comentários

Comentar post