Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Gonçalo

O Gonçalo apareceu.
Entregou-se num posto da polícia, em Espanha. A todos os que divulgaram, obrigada.

Gonçalo: não te conheço de parte nenhuma, não somos amigos, se nos conhecêssemos podíamos até não gostar nadinha um do outro. Mas fiquei muito feliz por teres tomado essa decisão, antes que alguma coisa muito má pudesse acontecer-te. Quando tinha a tua idade, fiz mooooontes de parvoíces. Também saí de casa, só não tive a coragem de ir mais longe do que para uns metros ao lado. Achava que a minha mãe não me entendia, que ninguém me entendia, achava que nao encaixava em lugar nenhum. É uma porra, a adolescência. I've been there!
Mas olha, os senhores que tens em casa gostam de ti muuuuuuiiiiiito mais do que possas imaginar. E deves ter feito uma boa mossa nos seus corações. Patareco. Se quiseres tens aqui uma tia emprestada, que não é tão cota como os teus pais e passou por tudo isso há menos tempo que eles. Se quiseres conversar, desabafar, dizer uns palavrões... força. Não é fácil crescer. Mas, se não te puseres a dar corda aos sapatos por esse mundo fora, se respirares fundo e aguentares o tranco, acredita, tudo será melhor.
O meu email é sonia.morais.santos@gmail.com.
Se te apetecer falar com uma desconhecida, que não vai dar lições de moral, estás à vontade. Se não te apetecer, estás à vontade, também. Faz-me só um favorzinho. Mantém-te em casa, são e salvo. Sim?

20 comentários

Comentar post

Pág. 1/2