Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Fisioterapia em casa? Yes, please!

Há coisa de um mês o Martim chegou do treino de futebol coxo e queixoso. Que tinha deixado a perna para trás, numa jogada qualquer, e que aquilo tinha estalado e a dor tinha sido horrível.

Isto de ser mãe de 4 tem as suas vantagens e as suas desvantagens, como em tudo. E depois tem ainda as vantagens que são desvantagens ao mesmo tempo, uma espécie de dois-em-um meio esquizofrénico. Passo a explicar: quando um dos meus filhos se magoa ou adoece, não corro para o hospital (a menos que haja sangue a rodos, ossos de fora, lábios roxos por falta de oxigénio, febres altas há mais de 7 dias, entre outras desgraceiras possíveis). Não é que lhes queira mal, que aprecie vê-los sofrer até ao limite. Simplesmente aprendi que na maioria das vezes a coisa passa sozinha e que ir ao hospital, além de ser chato e de ocupar o lugar de quem está meeeesmo mal, pode ser também uma fonte de outras maleitas, isto é, pode dar-se o caso de se voltar de lá pior do que se chegou.

Assim, pusemos gelo no joelho do Martim e demos-lhe anti-inflamatório. Esperámos 4 ou 5 dias e, ao percebermos que a coisa não melhorava nada, marcámos então consulta para a ortopedista. Esperámos mais uns dias pela consulta, a médica torceu logo muito o nariz, temeu o pior, mandou fazer ressonância, e o resultado, não sendo o pior dos cenários, também não era propriamente um passeio no parque: entorse de grau I no Ligamento Cruzado Anterior, mais edema ósseo, e o catano. Prescrição? Canadianas, nada de esforços (e muito menos desporto), e fisioterapia PELO MENOS três vezes por semana.

Senti uma pontada no peito e pensei que me finava. Três vezes por semana??? Portanto, deixa ver se entendi: além do atletismo, da guitarra, do piano, das explicações, do futebol (se bem que agora reduzido a um filho, já que o outro está temporariamente incapacitado), dos banhos, dos jantares... ainda vou ter de ir com este TRÊS VEZES POR SEMANA à fisioterapia? Tá boa.

Foi então que o meu tico e o meu teco comunicaram um com o outro (nem sempre acontece mas por vezes a coisa dá-se) e lembrei-me de um simpatiquíssimo email que recebi quando eu própria fiz a rotura do menisco. Nessa altura tinha recebido um email de uma empresa de fisioterapia que ia a casa a oferecer os seus serviços. Agradeci muito mas o cirurgião, no meu caso, disse que não era preciso fisioterapia e, por isso, não foi preciso recorrer a esta ajuda. Mas... eis que surgia agora a oportunidade de experimentar esta empresa.

Chama-se Fisiolar e vou-vos dizer uma coisinha: é absolutamente espectacular. Calhou-nos a fisioterapeuta Sofia, que é uma querida. Ela chega à hora combinada, o Martim fica na sua caminha, no seu quarto, ela faz os movimentos ao joelho que tem de fazer, põe lá os electrodos que tem de pôr, ajusta a intensidade dos choques, massaja, tudo no conforto da nossa casa, sem sairmos daqui para lado nenhum. Um sonho (dentro da evidente chatice de o ter de canadianas, chateado que nem um peru, com dores e tal). Pelo meio, levo um a uma actividade, vou buscar outro, adianto banhos e jantares.

Ainda por cima é super fácil marcar tudo online e, numa pesquisa pelo site, percebi que não se limitam à fisioterapia. Têm terapia da fala, recuperação pós-parto (imaginem recuperação pós-parto em casaaaaa!), nutrição, terapia ocupacional, psicologia e enfermagem. Imaginem os idosos, que têm por vezes quedas de que têm de recuperar ou acidentes vasculares cerebrais que os obrigam a fazer uma recuperação demorada... fazê-lo em casa deve ser toda uma diferença! Ah! E este serviço tem cobertura nacional! Estão sempre a dizer que Lisboa é a capital e o resto é paisagem... pois agora tomem nota: esta empresa está em todo o país.

No tempo em que vivemos, em que é tudo a correr, em que nos falta tempo para tudo, acho que estes serviços não podiam fazer mais sentido. E agradeço, do fundo do coração, aquele email que recebi há dois anos. Só assim podia ter conhecido esta empresa que agora ajuda o Martim a voltar ao activo (e nos ajuda a todos, enquanto família, a não andarmos ainda mais a correr de um lado para o outro).

IMG_1890.JPG

 *Post em parceria com Fisiolar (a parceria consistiu na oferta da primeira sessão, para experimentar. Daqui em diante é só porque estamos mesmo contentes!)

 

 

2 comentários

Comentar post