Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

E vocês? Será que sofrem de anemia?

image002.png

 

Pediram-me para fazer parte de uma acção de sensibilização sobre a anemia. Primeiro fiquei assim sem perceber bem a gravidade do problema. Anemia? Mas porquê? O que me disseram depois deixou-me boquiaberta: 1 em cada 5 portugueses tem anemia. A maioria nem sequer faz ideia. Mais de 20% da população portuguesa sofre de anemia e nas grávidas o caso fica ainda mais impressionante já que 54% padece desta condição.

Estes são os resultados de um estudo pioneiro feito sobre esta doença e que mostram que a realidade é, sem dúvida, mais preocupante do que a traçada pela OMS, que apontava para os 15%. O estudo Empire, feito pelo Anemia Working Group Portugal (AWGP) com o apoio da farmacêutica OM Pharma, contou com entrevistas presenciais e análises feitas em 2013 a 7890 pessoas com mais de 18 anos, e traça um cenário que preocupa os especialistas.

Cansaço, palidez, queda de cabelo, falta de ar, intolerância ao frio, são alguns dos sintomas mais comuns dos doentes com anemia. Todos eles podem perfeitamente passar despercebidos ou ser confundidos com outras patologias. António Robalo Nunes, presidente do AWGP e imunohemoterapeuta do Centro Hospitalar Lisboa Norte, diz que que a anemia é muitas vezes desvalorizada pelos médicos mas garante que é preciso mudar essa realidade: “A anemia é a diminuição da concentração de hemoglobina, do número de glóbulos vermelhos no sangue, e com isso fica comprometida uma das mais nobres missões, que é a capacidade de transporte de oxigénio”. 

 

Ora então, depois de saber isto tudo, aceitei fazer parte desta campanha de sensibilização e começo já por um passatempo no qual poderão participar. 

Uma vez que 1 em cada cinco mulheres sofre de anemia e a maioria não sabe, as cinco vencedoras do passatempo poderão ir comigo ao pequeno-almoço informativo que a AWGP vai fazer no dia 8 de Setembro, às 11h, e fazerem o rastreio de forma simples e gratuita. No local estarão técnicos e médicos disponíveis para esclarecer qualquer questão. Eu própria também farei o rastreio, que fiquei curiosa de saber se porventura faço parte dos 20% da população portuguesa anémica (na gravidez sei que sim, até andei a levar ferro por via intravenosa).

Têm até segunda-feira para participar!

Vamos lá saber como é que está o nosso sangue.

 

10 comentários

Comentar post