Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Dilemas de uma mãe que (feliz ou infelizmente... mas obviamente) não nasceu para Dolores

Os meus filhos andam no futebol. Mas é um futebol amador, assim coisa suave, duas vezes por semana, só com um torneio ou outro muito de vez em quando, coisa soft e em bom, pais educados e que não se envolvem em pancadaria ao intervalo, não há couratos nem minis, nem insultos ao árbitro, é tudo tranquilo e na paz do senhor, quase nem se dá por aquilo, e temos vivido bem assim.
Desgraçadamente, um amigo do meu filho mais velho anda no futebol "a sério". E, claro, o meu rapaz começou a ficar inquieto, que aquilo é que é, que ali é que se evolui (evolui para onde, meu bom garoto, porventura estás a pensar em fazer disto vida, vem cá à tua mãe, senta-te aqui no meu colo e vamos conversar sobre a meia dúzia de talentosos que tem sucesso e das largas centenas que ficam a jogar em clubes de 12ª categoria, sem dinheiro nem glória, anda cá, sossega, vamos antes fazer um puzzle), e mimimimimimi. Foi então fazer um treino na competição, para ver se ficava. E… ficou. O irmão, que viu o treino, disse que aquilo é que era, que ali é que se evolui (também tu, Brutus?), e mimimimimimi, e acabou por me convencer a fazer uma aula experimental com a turma de 2005, que não é da competição mas da formação. E… no final, o mister (adoro!) veio falar comigo: que o Martim é muito bom, "tem muita qualidade", e que não pode ficar com os do seu ano, que tem de transitar já para a competição e jogar com os de 2003-2004, senão desmotiva e não evolui (mauuuuuu). Eu a acenar com a cabeça, pois pois, estou a ver, e o mister (já disse que adoro?) a dizer que então é assim, vão fazer exames médicos, não se preocupe que vem cá o médico, e daqui a duas semanas o mais velho já há-de estar a dar uma coça ao Bobadelense. Eu ouvi tudo sem me desmanchar (sou uma heroína) e pensei que talvez não queira entrar neste caminho, em que há Bobadelenses e Sacavenenses e Águias da Musgueira e eu sei lá que mais (com o devido respeito por todos, hein!), mas depois olhei para eles e para aqueles olhinhos, caramba, haviam de ver os olhinhos deles, todos orgulhosos por ouvirem o mister falar assim das suas qualidades e de futuros risonhos a pontapear a bola. Os treinos passarão a ser três vezes por semana e, o que é pior, todos os sábados haverá jogos para o campeonato. Mas há ainda pior: o Martim terá jogos de manhã, o Manel terá jogos à tarde!!!!!! E eu olhei para o mister, na minha ingenuidade, levei as mãozinhas ao peito, e perguntei, de novo: mas são todos, todos, todos os sábados? E ele respondeu, para que não houvesse equívocos: todos, todos, todos os sábados.
De maneira que está o assunto em cima da mesa para reflexão, este fim-de-semana. Quereremos nós sacrificar todos os nossos sábados, para ter dois rapazes a jogar numa liga não sei quê? Estamos nós na disposição de acordar cedo todos os santos sábados, depois de uma semana infernal? E os fins-de-semana fora, que tanto apreciamos? Acabaram porque os magarefes têm um jogo contra o Sport Lisboa e Olivais? Dilemas. Dilemas de dura resolução. Esperam-se desenvolvimentos nos próximos dias. Para começar… esta noite já não dormi, a imaginar-me a conduzir miúdos suados a cheirar a chulé durante o meu dia de sossego. Não é por nada, mas assim de repente consigo pensar em coisas melhores para fazer.

50 comentários

Comentar post

Pág. 5/5