Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Clube de Leitura de Lisboa: o último antes do isolamento

Foi no dia 6 de Março, ainda não estávamos neste clima tão tenso em que entretanto ficámos, nem em isolamento social, quanto mais em Estado de Emergência. Já ninguém se cumprimentou com beijos e abraços, mas ainda era possível estarem várias pessoas numa sala sem os presentes sentirem que eram kamikazes ensandecidos ou criminosos sem consciência. Tinham passado duas semanas e meia da minha cirurgia, ainda foi um bocadinho difícil permanecer sentada tanto tempo (passei boa parte do encontro a levantar-me e a sentar-me de novo, meia sem posição e com desconforto provocado pela cinta cirúrgica que apertava como o raio que a partisse).

Eis os livros lidos, sobre os quais não vou fazer sinopse e dizer o que cada um achou, porque fiz textos longos para cada um dos livros mas não gravei, e quando voltei ao texto tinha desaparecido tudo. Dado o estado em que nos encontramos, e possivelmente por estar naquela altura do mês, larguei a chorar (e também porque sou uma chorona do caraças). Mas a verdade é que o texto já estava enorme e foi tudo com os porcos, com a sensação subsequente de perda de tempo, que é algo que odeio perder (em bom rigor, odeio perder o que quer que seja).

Isabel Sobrinho :

- A Vida Invisível, de Eurídice Gusmão. 

- Amanhece na Cidade, de Filipa Fonseca Silva

- A Odisseia de Penélope, de Margaret Attwood

Célia (leu 4 livros mas só trouxe dois e só falou de dois "por uma questão de decoro" - é o que dá sofrer de bullying por parte das leitoras menos vorazes sempre que traz uma pilha de livros 😂​):

- Só o Tempo Dirá e Os Pecados do Rei, ambos de Jeffrey Archer (dois de uma saga familiar distribuída por 7 livros)

Sofia (uma estreante no Clube):

- D. Maria I, de Isabel Stilwell

Sara:

- A Vida Invisível, de Eurídice Gusmão

- Hotel Memória, de João Tordo

- As Filhas de Eva, de Louise O'Neill

Beatriz:

- As Horas, Michael Cunningham

- Revolutionary Road, Richard Yates - A Beatriz adorou. "Vemos duas pessoas a maltratarem-se constantemente, em jogos psicológicos violentos. É muito doloroso de se ler. Pode ser dos melhores livros que já li, mas muito doloroso."

- The News - Alain de Botton 

- Write Yourself Down: The Art of Positive Journalling, de Megan C Hayes

- Opening Up By Writing It Down, de James W. Pennebaker 

Marta:

- Vozes de Chernobyl, de Svetlana Alexievich - "Penoso de ler porque são relatos reais, de pessoas que viveram isto. Lia um bocado e tinha de parar. Demorei um mês."

Isabel Oliveira: 

Autobiografia, de José Luís Peixoto - Isabel e Beatriz conversam e chegam à conclusão de que este livro será talvez o menos interessante do autor, que ambas apreciam bastante. 

Didi:

- As Irmãs Soong, de Jung Chang - Da mesma autora de Cisnes Selvagens, uma narrativa sobre três mulheres no coração da China do século xx. Uma grande história de poder, amor, conquista e traição.

- Para Sempre, de Vergílio Ferreira. "Muito difícil, com uma narrativa muito entrecortada. É a história de um  homem no fim da vida, que resolve voltar à casa da sua infância, mas só lá encontra fantasmas, só lhe vêm pensamentos de mortos, de gente que já não está. Não é fácil. Há outros livros de Vergílio Ferreira melhores, mais fáceis e lindíssimos, para quem quiser começar."

Sílvia:

- Pessoas Normais, de Sally Rooney

- Todas as Almas, de Javier Marías 

Maria João (outra estreante no Clube):

- O Corpo - Um Guia Para Ocupantes, de Bill Bryson - Fiquei cheia de vontade de o ler porque basicamente é como se fosse um guia turístico, interessante, científico mas muito divertido, sobre o nosso corpo.

- Ser Super Mãe é uma Treta, de Susana Almeida

- Swimming Lessons e Beach House Memories, de Mary Alice Monroe

- Dois livros de Banda Desenhada - Harleen, de Salie Stjepan Sejic

- Havia ainda um outro livro mas não consigo perceber a minha própria letra (seria A Última Carta? A Última Cátia? A Última Cabra? A Última Ceia? 🙄)

Elisabete

- Em Bliss, de Elsa Arrojado

- Clarabóia, de José Saramago - Para quem não gostava de Saramago, Elisabete já conta com dois livros que a fizeram (talvez) mudar de ideias. "Gostei bastante". Nada como dar segundas oportunidades. 

- Amigo Imaginário, de Stephen Chbosky

 

Foi muito bom e já tenho saudades. Sabe Deus quando nos iremos encontrar novamente. 

Obrigada ao Brown's Hotel por nos receber todos os meses. Obrigada à MultiOpticas pelo apoio dado a esta iniciativa e por cuidar dos nossos olhos.

3 comentários

Comentar post