Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Acabar com a escravatura infantil

Queria pedir-vos que assinassem esta petição. Queria pedir-vos mesmo, assim com as mãos postas e olhar de gato do Shrek. Queria pedir por favor. E agradecer, já, a todos os que assinarem.

Sim, em pleno século XXI continua a existir escravatura infantil.
No lago Volta, no Gana, milhares de crianças, algumas com apenas 3 ou 4 anos, são obrigadas a trabalhar 14 horas por dia, 7 dias por semana em troca de um prato de mandioca.
Trabalham na pesca, puxam as redes e mergulham no lago de águas lamacentas e pesadas cada vez que elas se enrolam debaixo do barco. Mergulham na mais perfeita escuridão, sem sentido de orientação e por vezes não voltam á superficie... mas os pescadores não se preocupam em procurá-las! Afinal existem muitas muitas mais à sua disposição.
Quando as crianças adoecem são atiradas ao rio, descartadas como se de coisas se tratassem... E sabem porquê?! Porque sai mais barato comprar mais crianças do que levar a que está doente ao médico.


A ONGD FILHOS DO CORAÇÃO resgata crianças do lago Volta e proporciona-lhes uma infância feliz com cuidados de saúde, higiene, segurança, educação,brincadeiras e afectividade.
Mas, o resgate de crianças não está a ser suficiente para por fim ao tráfico humano e escravatura infantil porque, quando uma criança é resgatada logo os pescadores compram duas ou tres para a substituir.
A solução está em obrigar o Governo do Gana a aplicar a lei que já existe mas pura e simplesmente continua a ser ignorada! É FUNDAMENTAL que todos assinem e partilhem a petição pública contra a escravatura infantil pois é a nossa única forma de chegarmos às mais altas instância nacionais e internacionais!

http://www.peticaopublica.com/PeticaoAssinar.aspx?pi=P2012N23130



Importante: Depois de assinarem vão receber um mail para confirmação da assinatura, sem a qual não será válida!


Partilhem! Não fiquem indiferentes porque a INDIFERENÇA MATA!

15 comentários

Comentar post

Pág. 1/2