Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

39!

É hoje. E tem sido maravilhoso.
Os festejos começaram ontem, ao jantar. Fomos ao meu restaurante preferido, o Olivier da Rua do Alecrim, eu e o homem da minha vida. Nem acreditámos quando fomos recebidos pelo nosso amigo Rafael. Conhecemo-lo no Yakuza e ficámos encantados com ele. Até escrevi aqui. Um empregado de mesa super eficiente e cheio de graça. Depois, voltámos a encontrá-lo no Yakuza do Algarve e ficámos de queixo à banda quando nos perguntou se queríamos Malhadinha, que tinha sido o vinho pedido da outra vez. Ontem, lá estava ele, desta vez na Rua do Alecrim. Impecável, como sempre. Espero que tenha muita sorte porque é um miúdo que se vê perfeitamente que gosta do que faz e é esforçado e esperto.
O jantar foi perfeito. O menu de degustação tem 9 entradas, um sorbet com vodca e, depois, o prato principal. Geralmente quando chega o prato principal já eu estou prestes a ter um AVC mas ontem não me estiquei com o pão e comi tudo bem devagarinho, para não abarrotar. O risotto nero de bacalhau fresco não ficou intacto no prato, desta vez. E ainda bem, porque é bom para catatau.
Quanto às 9 entradas não consigo dizer qual gosto mais. O paté fresco com cebola caramelizada é perfeito. Os carpaccios também. A sopa de tomate é genial. A cena de alheira com um ovinho estrelado em cima é antológica... enfim... podia lá jantar todos os dias da minha vida que nunca me fartava. Já rebolava, é certo, mas não me fartava.

Depois do jantar, a borga. Primeiro na Pensão Amor, depois no Viking onde dançámos até cair e assistimos ao show fabulástico da Fabiana, a stripper mais famosa de Lisboa. Foi tão divertido, mas tão divertido que ficámos até correrem connosco. Eram 4 da matina. Cá fora chovia. O Ricardo queria seguir para casa mas o pessoal maluco que entretanto se juntou - e eu, em particular - insistimos até à exaustão para irmos para o Plateau. Lá fomos. E o que dizer? Perfeito. Dançar até já não ter força nas pernas. Entrámos em casa às 6.30. Deitámo-nos às 7h. What a night!

Hoje tem sido bem calminho mas bem bom. Com as minhas gentes. Mãe, sogros, irmã e cunhado, filhos, gente minha. Com uma festa de outra gente minha à mistura. E presentes lindos. E daqui a pouco... mais festarola. É boooooom fazer anos!

55 comentários

Comentar post

Pág. 1/6