Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Bebés de Setembro? Alguém a ter bebé este mês?

A Galp e a vossa Cocó estão a oferecer - como, de resto, todos os meses deste ano - uma sessão com a Raquel Brinca, da Hug, ao bebé do mês. Basta inscreverem-se, indicando a data de nascimento dos vossos bebés, e depois a selecção será feita à sorte.

Do que estão à espera, pessoas? Olhem que estas sessões são pequenas maravilhas! Fosse eu mais nova (e mais enérgica, e mais paciente, e mais rica, e mais uma série de coisas) e acho que até tinha mais filhos só para fazer outra sessão com a Raquel!

Enviem email para: sonia.morais.santos@gmail.com

20918881_9ZZcT.png

 

 

My Little Dragon

É uma marca nova de roupa para a miudagem daquelas que dá vontade de comprar TUDO. E conhecendo a autora (é uma amiga que tem a criatividade a fervilhar no sangue) é de temer o pior no que toca o futuro - segurem os cartões, pessoas! 

O Mati já tem um casaco da My Little Dragon Store e amou-o. Hoje de manhã estava fresquinho e levou-o vestido mas depois, quando chegou à escola, não o queria tirar para mostrar a toda a gente. Lá o convenci (até porque estava um calor de ananases) mas foi a custo. Pequeno dragão de sua mãe.

A My Little Dragon está no Facebook e no Instagram.

Boas compras!

4491226112_IMG_3750.JPG

4489553968_IMG_3748.JPG

4487182848_IMG_3746.JPG

4489342448_IMG_3743.JPG

4492067792_IMG_3738.JPG

4487652320_IMG_3712.JPG

 

4489974640_IMG_3718.JPG

 

 

Experience & Innocence

Ontem o Ricardo disse que tinha de estar pronta às 20h para sairmos de casa. 20:15h no máximo. Era uma surpresa. Quando percebi que era o concerto dos U2 nem queria acreditar! Sacaninha que é sempre capaz de me surpreender, mesmo levando já com 20 anos de surpresas dele!

Foi - acho que posso dizê-lo - o melhor concerto a que já fui. Mas que grande espectáculo, caraças! Todos em grande forma, não encontrei vestígios daquele percalço de voz que o Bono teve em Berlim, o show visual foi simplesmente incrível (com um passadiço elevatório que fazia de ponte entre os dois palcos e que era, simultaneamente, um gigantesco video wall onde imagens projectadas se confundiam com as imagens reais dos músicos que por lá andavam), as mensagens de paz, de humanidade, de igualdade, da luta por um "mundo novo" a par e passo com imagens das múltiplas atrocidades a que o mundo já assistiu e continua a assistir (por vezes, demasiadas vezes, de forma impávida). Achei o som do Altice Arena por vezes mauzinho (parecia um rádio mal sintonizado) mas não foi o suficiente para beliscar a perfeição do concerto. São, realmente, gigantes. Eles e o meu homem. Obrigadaaaaaaaaaa, Ri! 

IMG_7408.JPG

 

 

 

 

Ontem foi dia de aniversário

O meu pai, quando fez o convite para o almoço, disse que este podia bem ser o seu último aniversário. Retorqui que isso é válido para todos nós mas ele insistiu na ideia. Quando perguntei à minha irmã se vinha de Aveiro para a festa do pai respondeu: "Acho que sim! Ainda para mais ele diz que é o último..." 

Ontem estava mais animado. "Vi num site que afinal só morro em 2027." 😂😂😂

O bolo foi pensado especificamente para agradar a uma pessoinha em particular que - escusado será dizer - adorou (o lixado foi fazê-lo parar de comer).

IMG_7385.JPG

IMG_7382.JPG

IMG_7367.jpg

IMG_7389.JPG

IMG_7393.JPG

 

 

 

Mateus, o pesado

bola de berlim.jpg

 

O Mateus está gordo como um texugo. Não admira. De tantas Bolas de Berlim que comeu este verão creio que se transformou, ele mesmo, numa.

Ontem, ao subir umas escadas, arfava e gemia. Às tantas, disse, numa das muitas paragens que teve de fazer antes de chegar ao topo:

- Ufff, estas escadas são pesadas!

Eu ri-me.

- Não são as escadas que são pesadas, amor. Tu é que estás pesado! 

Breve silêncio.

- Pois... estou gordo [ele diz guerôdo]. Mas gosto tanto de comer...

 

(100% solidária. Life sucks)

Regresso à vida normal

tetris.jpg

 

Os meus filhos estão a entrar na escola em suaves prestações. O Mateus foi o primeiro, na terça-feira depois de termos voltado de férias. Ontem foi o primeiro dia de aulas da Mada. O Manel começa na segunda e o Martim na quarta. Vão saindo, aos bochechos, e é aos bochechos que vou tratando de todo este regresso à vida de todos os dias. Não é propriamente fácil o jogo que é preciso fazer para encaixar as coisas todas nos horários de todos. Na verdade, é uma espécie de Tetris. Há o piano da Mada e a actividade desportiva que ainda vai escolher (a rapariga todos os anos se farta da modalidade praticada, é um castigo) para além da catequese (que este ano é um plus), há a guitarra dos rapazes mais velhos e os respectivos desportos, e este ano também o Mateus terá música e desporto, para lá da escolinha. É preciso escolher horários que encaixem nos horários da escola mas que também encaixem nos horários de todos os irmãos e no meu, porque mãe há só uma e eu, pelo menos, não consigo ter o dom da ubiquidade (com muita pena minha, também vos digo). Mas não me queixo, longe disso. Sou uma privilegiada, tenho a vida com que sempre sonhei (mentira, nem nunca a sonhei, achei sempre que não ia ser tão feliz como é). É complexo o início - olhar e ver onde meto o quê e como arranjo maneira de levar quem e onde (sendo que vendi o meu carro e, como me desloco de mota, não dá para levar mais do que um filho de cada vez) - mas depois entra tudo em velocidade de cruzeiro e já parece tudo fácil outra vez (tirando os dias em que, apesar de ter os horários deles todos afixados no frigorífico, me esqueço de levar ou de ir buscar ou de qualquer coisa porque... sou só humana). Pelo menos este ano já há uma boa novidade: a comida da escola da Mada passou a ser gostosa (era horrível) e acabou-se o ter de levar almoço no termo, que era mais uma cena na minha cabeça (se não sobrava do jantar era ver-me a cozinhar às 7h30 da matina, um perfume a peixe ou carne pela casa toda quando ainda só apetece sentir o cheiro a torradas). Aleluia! O resto vai-se fazendo. Uns dias melhor, outros dias pior. Não tarda faço anos, a seguir faz o Mateus, depois o Manel, tau, assim tudo de rajada. E depois, em menos de nada, é Natal. E 2019 chega e vêm num instante as férias da Páscoa e, muito mais depressa do que gostaríamos (apesar de termos muita vontade de lá chegar - são os contrasensos do ser humano), já estamos de molho outra vez, nas férias de verão. Ontem acabei de ler um livro maravilhoso (que não posso recomendar porque não está à venda, é uma edição de autor, com apenas algumas impressões para família e amigos, e eu tive a sorte de me emprestarem para ler - vai daqui um beijinho de grande admiração à avó Flor!) e que tinha uma frase (de Florbela Espanca): "Viver é não saber que se vive". E é. A gente passa pelas coisas, demasiadas vezes, sem lhes dar a devida importância, o devido valor. E depois... passou. Já as vivemos. Já foi. O segredo é viver sabendo que se vive. Estando atento aos detalhes. Degustando. É um exercício que tenho tentado fazer e que recomendo, neste regresso à vida normal. Se conseguirem... vão-se lembrando! 

Casas onde a Cocó não se Importava de Morar #103

Já tinham saudades desta bonita rubrica? De suspirar pelas casas que aqui vos apresento? De ficarem a lacrimejar e irem a correr preencher o boletim da semana, a ver se vos toca a sorte? Então aqui vai mais uma casinha de sonho.

Fica na Lapa, mesmo na Rua de Buenos Aires, num prédio com 4 pisos que sofreu remodelação recente. Tem garagem (2 lugares), terraço e piscina comum. Tem 3 quartos, um deles suite com closet, sala de estar e casa de jantar, quarto de empregada e casa de banho social. Mede 256m2. E é mesmo linda. Ah, custa 1.390.000€.

LAPA1.jpg

LAPA2.jpg

LAPA3.jpg

LAPA4.jpg

LAPA5.jpg

LAPA6.jpg

LAPA7.jpg

LAPA8.jpg

LAPA9.jpg

 

 

 

 

 

Clube de Leitura de Setembro. Temos encontro marcado já para a semana!

livros.jpg

Têm lido, pessoas? Aproveitaram as férias para se desforrar de toda a preguiça (ou falta de tempo) no que toca à leitura? Hum?

O nosso próximo encontro é no dia 21 deste mês, às 19h, na Fnac do Colombo.

Cada um leva o(s) livro(s) que tiver lido para conversarmos um bocadinho sobre cada um deles. Quem não tiver lido nada mas quiser ir ouvir... é favor aparecer.

Se puderem inscrevam-se no formulário em baixo, só para eu ficar com uma ideia de quantas pessoas vão aparecer.

Entretanto, a Fnac deixa algumas sugestões bem interessantes para esta rentrée:

A Persuasão Feminina, de Meg Wolitzer 

Eva, de Arturo Pérez Reverte 

Chamavam-lhe Grace, de Margarete Atwood 

21 Lições para o Século XXI, de Yuval Noah Harari 

Saga Sebastian Bergman - O Castigo dos Ignorantes, de Michael Hjorth e Hans Rosenfeldt 

 

Há uma chave para uma certa prisão

 

prisão.jpg

Não sei se é da alimentação que temos, se é do stress, se é tudo junto, mas a verdade é que oiço cada vez mais gente (sobretudo mulheres) queixaram-se de prisão de ventre. Prisão de ventre parece, à primeira vista, algo de pouca importância. Mas só para quem nunca passou por isso. Ter a barriga inchada, não conseguir ir à casa de banho, sentir dor e desconforto, é coisinha para tirar a alegria até à mais animada das criaturas. 

Hoje falo para quem passa por este tormento para dizer que Dulcosoft pode bem ser a vossa luz ao fundo do túnel (esta comparação agora soou estranha mas, em bom rigor, acertada 😂). Como favorece o amolecimento das fezes facilita a sua evacuação, proporcionando um alívio suave da prisão de ventre. Ainda por cima, como praticamente não é absorvido, pode ser tomado por crianças a partir dos 2 anos (Dulcosoft Solução Oral 250 ml), grávidas e mulheres a amamentar. Também pode ser tomado por idosos, pessoas com ingestão controlada de sódio ou intolerantes ao glúten, e por diabéticos.

Então e é uma purga, tipo óleo de fígado de bacalhau??? Não! Tem um sabor neutro e pode ser misturado em qualquer bebida quente ou fria, como água, sumo de fruta ou chá. Deve ser tomado preferencialmente numa única dose, pela manhã.

Agora nas férias, por exemplo, em que tanta gente sente logo uma alteração no funcionamento dos seus intestinos, não só pelas alterações dos hábitos alimentares como pela alteração das próprias rotinas, não é mal pensado levar Dulcosoft na bagagem!

 

Saiba mais AQUI.

DULCOSOFT®Pó para Solução Oral e DULCOSOFT®Solução Oral são dispositivos médicos para amolecer as fezes duras e secas e facilitar a evacuação.A administração a grávidas e crianças com menos de 8 anos deve ser preferencialmente supervisionada por um profissional de saúde. DULCOSOFT®não deve ser tomado durante mais de 28 dias. Não tome DULCOSOFT®no caso de alergia ao macrogol 4000 ou a qualquer outro ingrediente, se tiver alguma doença intestinal inflamatória grave ou megacólon tóxico, perfuração digestiva ou risco de perfuração digestiva, íleus, suspeita de obstrução intestinal, estenose sintomática ou síndromes abdominais dolorosas de causa indeterminada. Leia com atenção a rotulagem e instruções de utilização. (5.0) SAPT.DULC8.18.07.0422b

*Post em parceria com Dulcosoft

 

 

Pág. 1/3