Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Contabilidade

Hoje terminei, finalmente, uma conta que andava para fazer há algum tempo.
Há algum tempo que notamos que o leite, cá em casa, parece que evapora. Some-se. Tem pernas e anda. Mas ainda nunca tinha contado quantos litros se somem, assim, como que por magia. Foi desta. Então: na quarta-feira passada não havia leite. O Manel foi à mercearia e comprou 4 litros (diga-se que insistiu em pagar com a sua mesada, «para ajudar», o fofinho). Na sexta-feira comprámos mais 6 litros. E agora já vamos no 2º pacote do novo pack de 6 litros. Ou seja... aqui em casa estamos a consumir cerca de 12 litros de leite por semana. Sendo que... preparem-se! Eu não bebo leite e o Ricardo praticamente também não.

Glup.
Acho que vou comprar uma vaca.

...

Acabo de sair de uma reunião que me deixou num estado de mixed feelings.
Por um lado, tristeza. Por outro, alívio. Por outro ainda, sensação de reconhecimento, de desafio, de novas possibilidades.
Posto isto, estou ainda para decidir se fico triste ou contente.
...
...
Ok. Já decidi. Fico contente. :)
Vamos lá então arregaçar as mangas e pôr os poucos neurónios que me restam a trabalhar.

É oficial

A televisão engorda pelo menos10 quilos! Vi-me no Boa Tarde e pensei: fónixxxxxx! Quem é aquele bidão?
Credo! Eu sei que ainda tenho uns quilinhos para perder mas aquilo é um susto!
O único programa onde não parece que sofro de obesidade mórbida foi o Sociedade Civil. E porque é que este programa não engorda? A Fernanda Freitas explicou: porque é filmado num formato que nos devolve a imagem que temos. Não nos espalma!
Depois disto acho que vou passar a ir só a programas que gravem nesse formato amigo.

(Conceição Lino e Teresa Conceição: estou a brincar. Gostei muito do vosso convite e de estar à conversa convosco. Pena parecer uma pipa com pernas e braços... mas pronto. Quando lançar o próximo livro vou  ficar a líquidos uns 3 meses antes).

Resultado do passatempo cocó e Bubble

Foi difícil, que foi. E podem vir dizer que havia participações muito mais lindas, verdadeiros pedaços de literatura, poesia grandiosa, autênticos Nobel à espera de reconhecimento. O mais certo é ser verdade. Mas a escolha tinha de ser feita e nem sequer foi preciso andar à chapada com a Mariana, da Bubble, que conseguimos chegar as duas a consenso antes disso (apesar da quantidade espantosa de participantes).

Assim... a vencedora é... a Inês Duarte! Parabéns! Vai ter uma sessão Bubble fantástica!


Cada um dos meus três filhos
É o bebé mai lindo do Mundo
Todos os momentos são mágicos
Para este coração que não tem fundo.

Mesmo quando fazem cocó
E me chamam para limpar
Sustenho a respiração e vou
Mas não deixo de os amar!

Há momentos que só nós vemos
Mas gostávamos de eternizar
Como o banho, o sono ou a papa
Ou a descoberta do que é brincar...

Para gravar estes instantes
A Bubble quer ajudar
E com a câmara bem apontada
Vamos lá, toca a fotografar!

E assim se faz um lindo álbum
Da riqueza da sua mãe
A família toda quer ver
E o bebé quando crescer também.


Dizer, só à laia de consolação, que a Pureza Mello Breyner e a Érica Rodrigues estiveram em dúvida até ao final... parabéns também às duas, que apesar de não terem arrecadado o desejado prémio, estiveram muito inspiradas. Continuem a participar que chegam lá, tenho a certeza!

Vende-se casa

Tenho uma amiga que tem um casa para vender ou arrendar. A minha amiga gostava que houvesse uma família que a valorizasse e que usufruísse de tudo o que a casa tem de bom. Porque desde que o pai partiu, a minha amiga deixou de conseguir lá entrar. Porque há dores que ficam quando as pessoas partem. Mas as casas não têm culpa e não merecem ficar assim, fechadas, para ninguém.

A casa fica no Pinhal do General (entre a Quinta do Conde e Sesimbra).
São 3 terrenos com: vivenda de 2 pisos (4 quartos, 3 salas, 3 casas de banho, aquecimento central), uma grande horta com frutos e flores, uma piscina, uma garagem com arrecadação em cima (tem um espaço para criação de animais também).
Preço de venda: 165.000€
Preço de arrendamento: 1.200€/mês


Se alguém estiver interessado... é enviar um email para sonia.morais.santos@gmail.com que eu reencaminho.
Outra coisa: por favor, agora que viram isto, não desatem a enviar-me casas para eu publicitar. O cocó não tenciona transformar-se em agência imobiliária, por muito que eu até gostasse de vos ajudar a todos. Muito obrigadinha.



 



Mais fotos AQUI.

Vamos ajudar o Mateus

O Mateus era uma criança normal (alegre, traquina, carinhoso) até ao passado dia 16 de Fevereiro. Nesse dia, tudo mudou. O Mateus teve uma convulsão que demorou cerca de 2 horas a ser controlada pelos médicos do Hospital São Sebastião. 
Ninguém sabia o que ele tinha (de resto, ainda hoje ninguém sabe o que aconteceu). As análises, os exames, tudo dava normal. Mas nos dias seguintes o estado do Mateus agravou-se de tal forma que deixou de conseguir respirar sozinho e por volta das 23:00 horas do dia 21 de Fevereiro foi-lhe induzido o coma e feita a transferência para os cuidados intensivos do Hospital Maria Pia. Às 23h desse dia foi a última vez que Cláudia ouviu o filho dizer a palavra «mamã».
No dia 16 de março, após ter sido levantado o coma, foi-lhe retirado o ventilador e ele recomeçou a respirar por ele próprio, durante todo este tempo foram realizados dezenas de exames ao Mateus mas apenas a Ressonância mostra lesões no cérebro, todos os outros exames indicam que está tudo normal.

Neste momento, e apesar dos médicos pensarem que ele poderia ficar confinado a uma cama, sem poder falar, comer, sentar, andar, o Mateus já consegue comer, sorrir, rir, tenta brincar com as mãos, vê o “Ruca” com atenção, senta-se com apoio de uma cadeira própria, e diz algumas (poucas e raras) palavras. Todos estes progressos do Mateus têm provado que ele é um lutador.


Agora o Mateus voltou para casa, o que é uma alegria, mas são necessários muitos equipamentos para o seu dia-a-dia. Equipamentos tão dispendiosos que os pais não conseguem comprar. O vosso contributo com uma “gotinha” já pode ajudar esta família a criar um oceano de esperança!

Vejam e saibam mais AQUI. E, se puderem, contribuam. 


Esta história mexeu muito comigo porque me mostrou, uma vez mais, que termos em casa uma criança perfeitamente saudável e «normal» não são garantias de coisa nenhuma. De um momento para o outro, uma convulsão e... puf! Tudo aquilo que dávamos por garantido se esvai. É por isso, também, que devemos viver a vida como se ela fosse acabar dentro de momentos. Aproveitar cada momento bom. Dar valor a tudo o que temos. Porque a felicidade é um sopro. Mas quero acreditar que, com a ajuda de todos, esta família ainda há-de ter muitos momentos felizes. Um beijo enorme para o Mateus.
NIB: 0035 055800041861000 88