Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

...

Ontem parti às 8.30 de Lisboa, rumo a Luz de Tavira, para a primeira entrevista. No carro ia eu, o fotógrafo, uma produtora e uma maquilhadora (um luxo, pá). Depois da primeira entrevista, tínhamos de voar para a segunda, perto de Silves, porque o entrevistado tinha pressa. Já íamos atrasados mas tivemos de parar numa bomba para encher o depósito. Nisto... peripécia. O depósito não abria. A tampa estava encravada e não havia maneira de a desencravar. Stresssssssssss do piorio, um homem e três mulheres de roda daquilo e nada. Comecei a ver a minha vida a andar para trás, não só porque tínhamos mais duas entrevistas como tínhamos de regressar a Lisboa, como, ainda por cima, eu queria tentar chegar a tempo de ir ao teatro com o meu homem e os meus amigos. Bom, ao fim de um bom bocado de tentativas, e com a ajuda de um super-canivete, lá conseguimos.
Depois da segunda entrevista, em Silves, lá fomos nós para uma terrinha perto de Vila do Bispo. Ou seja, percorremos o Algarve de lés a lés, sempre a bombar. Às 16.30 ainda não tínhamos almoçado e procurámos um sítio em Silves para aliviar a fome. «Ainda se come alguma coisa?», perguntámos em três restaurantes de bifanas e pregos e hambúrgueres. «Não!!! A esta hora não!» Mas... nem uma bifaninha nem nada? «No máximo uma sandes». E mesmo quando pedi um sumo de laranja natural a moça foi peremptória: «A esta hora já não dá». As laranjas estavam mesmo à frente do meu nariz e foi por muito pouco que não pedi 2 laranjas, uma faca, um espremedor (ou mesmo uma colher) e um copo, para fazer eu mesma o raio do sumo. E ainda falamos de crise, senhores... enfim.
Cheguei a Lisboa às 22h20, o que significou que já não vi a peça «As Mulheres Não Percebem», com André Nunes, Rui Unas e Aldo Lima (encenação de José Pedro Gomes, texto de Frederico Pombares, Henrique Dias e Roberto Pereira), que está no Tivoli. Ainda consegui que me deixassem entrar, nos 10 minutos finais, porque tinha combinado encontrar-me com o Ricardo e os nossos amigos cá fora.
Depois fomos jantar ao Pinóquio - gambas, ameijoas e pica pau. Hummmm.
Hoje estou um bocado moída. Afinal, ontem foram muitos quilómetros e, de facto, eu já não tenho 20 anos.




19 comentários

Comentar post

Pág. 1/2