Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Uma looooonga aprendizagem

O treinador veio às 21h. Antes disso a Madalena teve inglês, depois fomos levar o Martim ao ténis, ficámos por lá a assistir à aula que acabou às 20h, chegámos a casa e foi jantar depressa, que o treinador havia de estar a chegar. Chegou mal engolimos a fruta. Chama-se Ricardo e explicou tudo muito bem. Gostámos todos muito dele. Este foi apenas um primeiro encontro, de avaliação. As aulas começam de seguida, duas vezes por semana.
Aprendemos os 4 princípios básicos da psicologia canina: vantagem/desvantagem; reforço/punição.
Aprendemos os benefícios dos brinquedos interactivos, que podemos comprar ou fazer nós próprios.
Percebemos de onde vêm alguns dos medos do Mojito.
Compreendemos o conceito de recursos escassos e foi-nos explicado que a palavra "toma" é, a partir de agora, a nossa pior inimiga. A palavra a repetir é, de agora em diante, Mojito, sobretudo quando associada a reforços positivos. E tomámos consciência de que o Clicker vai ser, daqui para a frente, um grande aliado. Fomos introduzidos às noções de clareza e simplicidade do cérebro de um cão: "Senta!" significa apenas "fica com o rabo no chão" e não mais do que isso. Recebemos a indicação de que vai ser preciso ignorá-lo quando gane - ainda que custe - e só o premiar depois de se calar. Percebemos que a repetição dos comportamentos, seguidos de igual forma por todos os membros da família, será a nossa salvação.
Ele esteve cá uma hora e meia e sentimos que podia continuar, porque descobrimos imensas coisas novas e que fazem todo o sentido. De facto, até mesmo um cão pode ensinar-nos todo um novo mundo. Basta estar aberto a isso. Basta querer aprender. Let the games begin!

6 comentários

Comentar post