Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Uma grande noitada

Estar no Club Med é como estar no estrangeiro. Que eu tenha dado conta há, sem contar connosco, um casal português. Tudo o resto é maioritariamente francês (também há uns ingleses). Para aqueles portugueses que vão para o estrangeiro e ficam danados porque há portugueses por todo o lado e só ouvem falar a língua mãe, esta é uma excelente opção: ficam em Portugal, poupam umas coroas, têm um sol fantástico, um hotel do caraças, uma vista soberba sobre a praia (que está mesmo aqui por baixo), e não ouvem falar a língua em parte nenhuma. Mesmo os funcionários, quando se dirigem a nós, é sempre em francês. Depois, percebem que somos bicho tuga e lá falam na nossa língua. Também há muita gente loira, de olhos azuis, para quem aprecia o género. E muuuuuuuuuuuuuuuita família! De resto, o hotel está super preparado para as famílias, com imensas valências tipo baby club e sala de biberões e brinquedos na piscina e mais não sei quantas coisas que ainda vamos explorar.

O jantar impressionou-me, confesso. Imensos espaços distintos, imensos chefs, a prepararem imensos pratos. Havia comida para todos os gostos. E da boa (ai a dieta, senhores!)


 
 
Depois do jantar, espectáculo. Pensávamos que seria uma banhadazita e estivemos mesmo, mesmo para não entrar no (gigante) teatro. Ainda bem que fomos. Era um tributo aos Queen, com as principais músicas deles. No final, os miúdos foram para o palco e dançámos todos umas coreografias malucas que eles inventaram.
Seguiu-se.... a estreia dos miúdos numa discoteca. Tão fixe. Dançámos, dançámos, dançámos. Rimos muito com os passos do Martim. E dormimos que nem uns anjos, estafadinhos.
Espectáculo

Discoteca do hotel
?

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2