Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Um senhor azeite

apresentacao CAMB_1.jpg

Na terça-feira estive presente num jantar de apresentação do novo Azeite Virgem Extra Premium CAMB (Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos), na Casa do Alentejo. Confesso que quando percebi que íamos beber azeite, assim mesmo num copinho, sem lhe mergulhar um pedaço de pão, tosta ou coisa parecida... temi o pior. Como assim, beber azeite???? A inquietação, percebi depois, não era só minha. Estávamos todos um pouco apreensivos mas depois percebemos que a prova só é realmente fidedigna se for feita assim. Com pão o azeite sabe de forma diferente. Assim como com outros alimentos. Para ser a sério... é a solo. Glup.

PC061229.jpg

Este Azeite Virgem Extra Premium CAMB foi premiado com medalha e ouro, na categoria frutado maduro, no concurso Mário Solinas - o principal concurso internacional na área dos azeites virgens extra, organizado pela International Olive Council.

Tínhamos dois copinhos para provar. Num deles estava este azeite premium. E, de facto, mesmo para um leigo nisto das provas de azeite, conseguia-se notar o sabor intenso, frutado, levemente picante. Não foi assim tão impossível provar (porque foi mesmo só um semi-golo...), mas continuo a achar que um pãozinho alentejano molhado no azeite tornava tudo (ainda) mais apetitoso (ainda que alterasse um bocadito o sabor). 😜 

Um especialista falou então sobre as características deste azeite e sobre o modo como foi conseguido. O Azeite Virgem Extra Premium CAMB foi elaborado a partir das variedades regionais da cooperativa, através da extração a frio e utilizando processos exclusivamente mecânicos, com o objetivo de garantir a máxima qualidade do produto final. O processo de colheita foi de extremo rigor e cuidado, tendo as azeitonas sido colhidas sobre panos e transportadas rapidamente para o lagar, garantindo a total preservação dos frutos.

Percebi que há um cuidado rigoroso, do princípio ao fim: a extração deste azeite começou com a trituração dos frutos inteiros, seguida de um revolvimento, em movimentos lentos, da pasta obtida. Depois de extraído, o azeite manteve-se em depósito no armazém durante alguns dias, em ambiente escuro e fresco, para que todas as partículas finas da polpa, ainda dissolvidas no azeite, pudessem tranquilamente depositar-se no fundo.

Separado o azeite das partículas decantadas, foi embalado em ambiente fresco e em garrafa escura (e linda, por sinal) para que, até à hora de consumir, a luz exterior e/ou o calor não interfiram na cor verde brilhante natural nem nos aromas originais. Tudo isto para que seja preservada a sua única e verdadeira tarefa de transportador da cor e dos aromas do fruto, até à nossa mesa.

Captura de ecrã 2016-12-8, às 23.54.39.png

 

Outra coisa boa é que este azeite, apesar de ser tão premium, não está só à venda na boutique XPTO escondida no beco de um bairro chique. Está disponível nos principais super e hipermercados do país, pelo preço de venda ao público recomendado de 12,49€ (embalagem de 500ml).

 

Depois da prova, tivemos um excelente jantar, regado com este néctar delicioso. 

Parabéns à Cooperativa Agrícola de Moura e Barrancos e obrigada pelo convite! 

Fiquei fã do vosso azeite e cá em casa vamos seguramente tornar-nos clientes.

Sonia Morais Santos.jpg

(este maravilhoso jumpsuit foi o presente de aniversário da minha loja do demo - Happy Company

 

post escrito em parceria com a CAMB