Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Teleféricos, cestos, espetadas e casinhas

Hoje foi dia de passeios e teleféricos. Um até à zona dos cestos, outro até ao Jardim Botânico. Quando chegámos à entrada do teleférico que nos ia levar ao jardim vimos um carro da RTP. Não liguei nenhuma até ouvir o Ricardo dizer: «Olha quem está aqui!» Era a Catarina Furtado. Cumprimentámo-nos, incrédulas. Ainda no sábado estivemos juntas no evento Todos Por Um e agora encontramo-nos... na Madeira? Como é pequenino este país, com ilhas incluídas e tudo! Ela ia fazer uma reportagem sobre o Jardim Botânico, de maneira que daí a mais um bocado voltámos a vê-la, mesmo à saída do teleférico que dá para o jardim.
Os miúdos portaram-se lindamente. Desceram, subiram, andaram imenso, sempre sem queixumes. Adoraram passear pelo jardim. E gostaram muito dos teleféricos, apesar do medo que (sobretudo um deles) metia.

 

 
Jardim Botânico

Tão altooooooo...

A equipa da RTP a filmar a Catarina a sair do teleférico
 
 
Depois do jardim, fomos fazer a descida dos cestos. Já o tínhamos feito, a dois, desta vez fizemos na mesma a dois mas com os nossos três filhos no cesto da frente. Confesso que engoli em seco algumas vezes, a pensar «ai, caraças e se agora o sacana do cesto dos putos se enfiava de encontro a uma parede e a gente aqui atrás a ver?» Felizmente correu tudo bem. Eles deliraram. ?

 

No final da descida, podíamos ter ido de táxi até ao centro do Funchal. Mas decidimos armar-nos em bons e fomos a pé. Não foi insuportável mas a descida é mesmo íngreme. Tenho uma colecção de bolhas nos dedos. Os miúdos foram uns heróis e desceram sem piar. Até a pequena Mada. Quando já estávamos mesmo a chegar, já não se aguentava nas canetas e foi o Martim que lhe pegou.

Nada melhor, a seguir a uma caminhada, do que uma bela espetada madeirense. O sítio com maior número de recomendações foi este: «As Vides», no Estreito de Câmara de Lobos. Ainda bem que segui o conselho. Era excepcional
 

 
 
O almoço foi potente e, por isso, não deu para ir para a praia, sob pena de falecer toda uma família de congestão. Assim sendo, fomos até às grutas de S. Vicente. Muito giro. Vale mesmo a pena. 

 


Por fim, Santana e as suas casinhas very typical.
 

19 comentários

Comentar post

Pág. 1/2