Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

One last try

O adorável pai cocó chamou o não menos adorável filho do meio (cocozito), que vai fazer anos na segunda-feira.
Pai: - Então, Martim, diz lá o que gostavas de receber nos anos.
Eu, que estava ao lado, comecei então a dizer «cão» com a boca, mas sem som. O Martim esforçava-se por perceber o que eu dizia. Eu prossegui, muito empenhada: «cão», «cão», «ão», «ão». Como ele estava com sérias dificuldades em ler lábios, pus a língua de fora como se estivesse a arfar. E repeti: «ão», «ão», em silêncio. De vez em quando disfarçava, porque o Ricardo olhava de lado, tentando descobrir porque raio estava o Martim sempre com os olhos postos em mim. Às tantas, percebeu:
Tim: Cão???
Pai: Hã?
Tim: A mãe está para ali a dizer cão!
Eu (apanhadíssima): Então... tu não querias um cão?
Tim: Eu queria mas o pai não deixa! Pode ser? Pode ser um cão?
Pai (virando-se para mim): Tens muita gracinha...

3 comentários

Comentar post