Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Olhos gatunos

No outro dia ouvi n'O Homem Que Mordeu o Cão a história de uma idosa de 67 anos a quem os cirurgiões (que a preparavam para uma operação às cataratas) descobriram 27 lentes de contacto alojadas no olho (17 no próprio olho, mais 10 escondidas atrás do globo ocular).

Não me surpreende. Desde que uso lentes diárias, de vez em quando acontecem coisas estranhas. Como no outro dia, em que acordei, e estava muito ralada porque estava a ver pessimamente de um olho. Que estranho. Ainda não tinha posto as lentes mas, de facto, havia uma diferença substancial entre um e o outro. "Queres ver que tenho de ir ao hospital? É que está tudo baço..." De repente, a olhar para o espelho, percebi: tinha dormido com a lente num dos olhos. Ou seja: eu não estava a ver mal de um olho, eu estava era a ver bem do outro! 

Fiquei sempre sem saber se me esqueci de tirar essa lente na noite anterior ou se seria uma qualquer que estaria alojada lá atrás do globo ocular e que decidiu emergir. 

Hoje, sucedeu novo episódio. Estava com a lente do olho esquerdo a enervar-me, decidi tirá-la, passá-la pelo líquido e voltar a pô-la. Ia jurar que a tinha posto. Mas... que é dela? Sumiu. Lá comecei eu a ver tudo desfocado. A desgraçada tinha desaparecido. Conclusão? Tirei a do olho direito e fui pôr os óculos.

Agora, enquanto escrevia este post, comecei a sentir uma coceira e eis que o meu olho pariu a lente. Assim mesmo, como num parto. Pisquei, pisquei, pisquei... e ei-la, como que nascida.

 

Isto para dizer que se isto é assim aos quarentas, o que será de mim aos sessentas? Suponho que venha a ser um verdadeiro armazém de lentes de contacto. 😳

Vantagens das lentes de contacto progressivas01.jp

 

 

 

27 comentários

Comentar post

Pág. 1/2