Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Manel, presidente do Sporting

O meu filho Manel viu ontem o debate entre os dois candidatos a presidente do Sporting com um caderno na mão. Fartou-se de tirar notas. Não me surpreende. O meu filho Manel tem pelo Sporting uma verdadeira doença. Acorda e deita-se a cantar os cânticos das claques, já ensinou todos ao Mateus, sabe tudo sobre o clube, conhece todos os jogadores (não só do Sporting) a ponto de saber onde nasceram, em que outros clubes estiveram, que lesões já enfrentaram, que golos marcaram.

O meu filho Manel quer tirar Gestão mas eu sei que ele vai acabar a trabalhar em qualquer coisa que tenha a ver com futebol. Não é que isso me deixe particularmente feliz, mas sei que a ele o deixará. O meu filho não vê futebol como as outras pessoas "normais". Ele vive o futebol. Vive especialmente o Sporting com um fervor que não conseguirei jamais entender. De onde é que isto vem? Como é que isto aconteceu? O pai e o avô são sportinguistas mas nada como isto. Nada. 

O meu filho Manel não pôde ouvir ontem o debate em directo porque era o aniversário do pai, mas passou o dia (e a véspera e a antevéspera) a falar no assunto. Quando os avós se foram embora, pôs o debate e sentou-se, a tirar apontamentos. Parava a gravação sempre que havia barulho, pedia silêncio, estava seríssimo, enquanto nós todos o olhávamos, sem compreender. 

O meu filho tem cadernos onde escreve tácticas, desde que era minúsculo. E tem uma página de facebook (Mibster), onde fala de futebol.

No outro dia, dei com este texto dele sobre o jogo entre o Porto e o Sporting: 

"Por onde começar? Começar pelo minuto zero? Ou recomeçar do zero?
Para já começar por dizer que Sou Sporting até morrer.
Agora falando sobre os 90 minutos do jogo:
Primeira parte Porto,segunda parte Sporting. O Sporting a não conseguir lateralizar o jogo, e com processos defensivos débeis, assim como transições previsíveis taticamente.
Porto a explorar espaços vazios e a apostar forte em contra-ataques, nos quais conseguiu dois golos.
Segunda parte, como era de prever, o Sporting entrou com mais dinâmica de jogo, mais e melhor poder ofensivo, e cultura defensiva sólida. Porto mais defensivo, muito fechado, como também era esperar, acaba por sofrer um golo com justiça.
Alan Ruiz foi fundamental para chegar ao golo; A entrada de Esgaio mostrou a deficiência de jogo de Marvin Zeegelar; André André entrou para fechar Alan, e conseguiu, dando também largura ao meio-campo portista; Primeira parte da defesa do Sporting muito má posicionalmente; Casillas salvou o Porto, mérito do espanhol.
O jogo foi intenso, bem disputado, e acaba por ser um bom clássico. Parabéns ao @fcporto pela vitória!
Parabéns a equipa de arbitragem que esteve mais do que à altura do jogo.
Por último reforçar a ideia inicial:
Um leão nunca baixa a cabeça, só para beijar a camisola. Se Matematicamente é possível, então quem a pode negar?
É difícil? É!
Quase impossível? Sim!
Já acabou? NÃO!
AMO-TE @sportingclubedeportugal"

 

Não contrario isto, apesar de não compreender. Tento dar-lhe outras coisas, outras vivências, mais do que só futebol. Para que não se torne uma pessoa vazia do resto, apenas cheia de bola, que me parece sempre tão pouco. Uma coisa é certa: é isto que o faz vibrar como mais nada. 

24 comentários

Comentar post

Pág. 1/3