Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Mada no seu melhor

A Mada tem 8 anos e ainda acredita no Pai Natal. 

Cá em casa, a coisa processa-se do seguinte modo: o Pai Natal chega à meia-noite para dar presentes às crianças, e os adultos (pais incluídos) também oferecem os seus presentes. Sei que em algumas casas se opta por dar ao Pai Natal todo o protagonismo, saindo os pais de cena (apesar de serem eles a escolher criteriosamente os presentes e a comprá-los). Sempre nos pareceu injusto e, por isso, mal nasceu o primeiro filho, decidimos que o Pai Natal dava um presente, nós dávamos outro, e todos contribuíamos para a felicidade da criançada.

Este ano, o Pai Natal trouxe à Mada uns Bayblades (uns piões modernos que ela pediu) e um livro.

Nós demos o nosso presente. E ela ficou muito satisfeita com o saldo da coisa.

No outro dia, porém, estava inquieta:

- Ó mãe, sabes uma coisa que me deixou muito surpreendida? O Pai Natal trouxe à Mariana tantos presentes, tantos presentes... Olha: uma bicicleta, uma trotineta, Legos, uma boneca... a sério que não percebi. Eu gostei dos meus presentes mas foram só dois! Pensei que oferecia mais ou menos a mesma quantidade a todos, e afinal não!

Ui.... O Pai Natal a perder a aura e a revelar-se um discriminador. 

Pensa, mulher, pensa, pensa rápidooooooo, como é que te sais desta airosamente, defendendo o pobre idoso das barbas, pensaaaaaa. Já sei!

- Sabes, querida, há casas em que os pais optam por não comprar presentes aos filhos no Natal. Como sabem que o Pai Natal vai trazer, explicam aos filhos que não vão comprar nada. Pode ser por várias razões: por acharem que já são brinquedos a mais, por razões financeiras, por falta de espaço para tanta coisa... enfim. E, nesses casos, o Pai Natal, sabendo dessa decisão, tenta compensar trazendo mais presentes para essas crianças. 

Disse isto torcendo para que ela não fosse perguntar à amiga se porventura os pais também lhe deram presente de Natal. Se ela disser que sim, estou oficialmente lixada. Para já, porém, a resposta convenceu, que eu bem a vi a assentir com a cabeça, no banco de trás do carro, como que a dizer "ok, faz sentido, é justo".

Uffffff! 😅

18 comentários

Comentar post

Pág. 2/2