Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Família aos bocadinhos


Este ano as férias são feitas a três, mais raramente a cinco. A Madalena tem 1 mês e a sua pele delicadíssima não se compadece com a nossa vontade de torrar ao sol, de modo que nos revezamos e estamos menos juntos que o costume. É esquisito porque somos muito lapas uns dos outros mas, como disse o meu homem há bocado, antes de sair de casa para ir com os rapazes ver A Idade do Gelo 3, "é um pequeno passo atrás para depois podermos continuar a dar os nossos bons passos para a frente".
A verdade é que me orgulho cada vez mais de nós, da nossa descontracção, da nossa maneira de dar a volta ao texto, do modo como nos adaptamos e readaptamos, camaleónicos como só nós. Chamem-me convencida, cagona, quero lá saber. Gosto de nos ver com uma bebé de 1 mês à beira da piscina, vestida com um fato de banho lindo oferecido pela R., perante o olhar pasmado de todos os veraneantes, gosto quando ela dorme e nos deixa dar abraços debaixo de água. Gosto do modo descontraído com que dou de mamar ao mesmo tempo que janto ou almoço. Gosto quando saímos à noite com ela, porque não há melhor que a acostumar a dormir em lugares diferentes, com barulho, movimento, e porque a vida não tem de parar só porque um bebé aterrou numa casa onde já vive tanta gente.
Agora espero pelas 17.00, hora a que eles vão chegar do cinema, contar o filme, e depois vamos todos à pisicna, rezando para que ela não grite, para que possamos mergulhar todos, como uma família, enquanto ela dorme sossegadita no seu carrinho com vista para o nosso banho. Se ela gritar, também já tenho solução, graças às minhas amigas do departamento comercial e de marketing da Time Out! É verdade, minhas lindas: o sling cála-a, mas cala mesmo. É enfiá-la lá dentro e vê-la a adormecer. Depois só é preciso um cuidado extraordinário na passagem do sling para o carrinho ou para o berço. Se a transfega for feita em câmara lenta e sem respirar é bem possível que ela não acorde e que a vida seja bonita. Obrigada Cris, Rita, Ana e Vani. O silêncio aqui em casa é de ouro, de modo que o vosso presente vale... ouro! Bem, e por falar nisso, já oiço um choro ao fundo. Aí vou euuuuuu..

35 comentários

Comentar post

Pág. 1/4