Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Dia Mundial da Rádio

Fiz rádio durante cinco anos consecutivos. Já tinha feito antes, em 1996, na saudosa Rádio Clube de Sintra (há amores que ficam para sempre no nosso coração e este ficou no meu), e depois na Rádio Comercial, com o meu querido Pedro Rolo Duarte (eu tinha um pequeno apontamento num programa dele, o Mundo de Aventuras).
Depois, em 2003, tive o meu primeiro programa, a meias, na Antena 1. Seguiram-se 4 anos de ausência e depois cinco de permanência. Tive três programas seguidinhos na Antena 1: «A Viagem da Cegonha», «Portugal dos Pequeninos» e «Nós vencedores». Gostei muito de fazer qualquer um deles. Gosto muito de fazer rádio.
No verão do ano passado o programa acabou e os orçamentos ditaram que não continuasse, apesar de ter muitas e (julgo) boas ideias. E a verdade é só uma: já tenho saudades da rádio. Quando ouvia dizer que era «um bichinho» que se entranhava, pensava sempre de mim para mim que era conversa de saudosistas. Agora sei que é verdade verdadeira. Ou então é por ser eu, agora, a saudosista.
De uma maneira ou de outra, o que importa hoje é dar os parabéns à rádio, que se soube manter e sobreviver, apesar de todos os novos meios que não pararam (e não param) de nascer.

3 comentários

Comentar post