Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Dia da Criança

O Dia da Criança não podia ter sido passado de melhor forma. Acordei às 6h da manhã porque tinha de estar às 7h na Avenida da Liberdade, para concluir uma reportagem. Primeiro rosnei um bocadinho, porque me apetecia dormir mais, mas depois acabou por ser óptimo, não só porque o trabalho correu muito bem, como pelo prazer de ver a cidade ainda deserta, e o início de um novo dia. Depois foi chegar a casa e sermos sete (e meio) cá em casa, aquela animação de que gosto tanto. Seguiu-se um brunch fantástico no restaurante U Chiado. Éramos 11. Fomos tão bem tratados que vamos de certeza voltar. Havia um workshop de pastelaria, para os miúdos, que podiam enfeitar os seus cupcakes ao seu gosto, havia uma fonte de chocolate (que foi o maior sucesso - as crianças não conseguiam tirar os olhos dela e, para dizer a verdade, os adultos também), e havia uma senhora que pintava as caras dos pequeninos - tudo para celebrar o Dia da Criança. Muito bom.
O brunch não foi uma invenção do U Chiado apenas para o dia 1 de Junho. Acontece todos os sábados e domingos, das 12h às 17h, no Largo do Picadeiro (ontem teve foi miminhos especiais para os mais pequenos).
 


Adorei estes apontamentos que pareciam folhas de jornal

Espécie de cupcake feito pelo Martim

Ovo benedict - Nhami!

Espécie de cupcake feito pelo Manel


 Que amor!

 Espetada de fruta com chocolate. Perdição.
 
?

Aiiiiiiiiiiii... Tentação do demo.

 O Martim é que teve a ideia: e se em vez da espetada de fruta ser embebida no chocolate da fonte, fosse um bolo? O resultado foi isto. Os outros seguiram-lhe o exemplo, claro!
 
?
Espécie de cupcake feito pela Madalena

Este bolo (à direita) era de comer e chorar por mais

A minha leoazinha

À conversa com o chef


O lindíssimo U CHiado por dentro
 
E por fora (onde estivemos)
 
 
Quando saímos dali, fomos dar umas voltinhas pelo Chiado. Estava um dia lindo e quente (que saudades). Havia imensas actividades no largo do Teatro São Carlos. A Madalena e o Martim quiseram dar uma voltinha no cavalo da GNR.

 
 
Pelo meio ainda comprei o presente para a minha amiga aniversariante e depois fomos para a Feira do Livro. Foi comovente ver a feira tão cheia. Estava com tanta gente que havia bocados em que era difícil caminhar. Lá estive, no Clube do Autor, a assinar livros, emocionada por cada pessoa que me apareceu com o meu livro na mão (adorei a família com 3 filhos e a nossa troca de desabafos). A minha querida editora Liliana Valpaços (Matéria-Prima) esteve a fazer-me companhia (a outra querida editora, Inês Queiroz, estava na maternidade porque acabou de ter uma Alice). A minha família esteve lá em peso. Obrigada à querida Catarina, que me foi dar um grande beijo, e à doce Sofia, que disse um «nós somos família e estamos aqui por ti» que me fez abraçá-la com tanta força que sou bem capaz de lhe ter partido uma costela. :) A Cristina Ovídio também lá esteve, amorosa como sempre. Foi muito bom.
 
Por fim, foi voar para casa porque os miúdos tinham um piquenique combinado com os amigos do condomínio e nós tínhamos a festa de uma amiga. A babysitter apareceu, demos as indicações, os filhos ficaram no jardim a comer pizza com os vizinhos e lá fomos, de táxi, para... o Kosovo.
A festa foi num armazém, no Prior Velho, num sítio que, de facto, tinha algumas semelhanças com o Kosovo. O armazém é enorme e faz lembrar um daqueles lofts americanos, escuro, cheio de telas gigantes encostadas às paredes, com panos imensos a fazer a divisão dos espaços. Sofás, cadeirões, mobílias antigas, um carrinho de choque, uma mesa de matraquilhos, outra de snooker, as mesas para o jantar. Muito freak e muito fora. Gostei mesmo. A festa foi gira, revi imensa gente que já não via há muito tempo, estive com a minha querida João, com a Nica e o J, adorei estar com a Susana e com o Tiago. Sábado bom, mesmo bom. ?

4 comentários

Comentar post