Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Carta à Nonô, d'A Viagem da Cegonha

Durante nove meses, segui-te de perto. Escutei o bater do teu coração. Emocionei-me quando te vi a três dimensões. Fiquei radiante com a confirmação de que eras uma menina. Indaguei pais e avós e amigos e médicos e colegas sobre as comoções que ias provocando, aqui e ali.

Durante nove meses, acompanhei o teu crescimento. A ansiedade dos teus pais. O nervoso miudinho da tua avó materna. A felicidade dos amigos mais próximos.

E finalmente, hoje, às 9.01 da manhã, nasceste. Deste trabalho à tua mãe, mas ela portou-se como todos sabíamos que se ia portar: como uma valente. E agora aí estás, linda e cor de rosa, 2990 kg de gente, pronta para o mundo.

Bem-vinda, Maria Leonor. Espero acompanhar-te ao longo dos anos. Espero seguir os teus passos, desta vez sem microfones por perto. E estarei por aqui, sempre que precises. Foi um prazer estar por perto enquanto te formavas, será um prazer estar por perto enquanto cresces.

Espero que sejas muito, muito feliz.

24 comentários

Comentar post

Pág. 1/3