Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

A sério? Mesmo a sério?

Tive conhecimento de que existirá um contrato de cedência do terreno destinado à construção da 2.ª fase da Escola Básica Parque das Nações para funcionar como parque de estacionamento de uma empresa de aluguer de viaturas, vulgo rent-a-car. A sério?????

Como pode ser permitida ou sequer ponderada a utilização do terreno em causa para qualquer outro fim que não o da conclusão da Escola Básica Parque das Nações, ainda para mais quando existe uma recomendação aprovada pela Assembleia da República, no seguimento de uma petição pública assinada por mais de 4000 subscritores, exigindo ao Ministério da Educação e Ciência o início célere da obra de conclusão da Escola Básica Parque das Nações???

Há cinco anos que existe verba no Orçamento de Estado para a conclusão da construção da escola, há ainda mais anos que existe o terreno e um projeto aprovado para a obra, já se encontra construída parte da escola e até hoje o Governo de Portugal tem alegado que “questões jurídicas” não têm permitido a sua conclusão. Será que as referidas “questões jurídicas” estão já sanadas? Ou será que as referidas “questões jurídicas” impedem a conclusão da obra de construção da Escola mas não impedem a cedência e utilização do terreno para um fim diferente daquele que está previsto no Plano Diretor Municipal? Se as “questões jurídicas” estão já sanadas, então porque é que não se inicia a obra de conclusão da escola e, pelo contrário, se tenta inviabilizar ou atrasar a sua construção por meio de cedência de usufruto do terreno? 

Tenho para mim que ainda vamos ter de nos acorrentar aos portões da escola, montar tendas no terreno ou até mesmo encher a cara de alguém de bolachadas. Temos aguentado muito mas agora também já é demais! 

 
 

12 comentários

Comentar post

Pág. 1/2