Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Mulheres inspiradoras: Raquel Brinca

Como já vos contei, o The Woffice está envolvido num projecto que pretende divulgar algumas mulheres inspiradoras. Para isso até pedi a vossa ajuda mas expliquei que algumas das mulheres já estavam definidas por nós à partida, porque as conhecemos e achamos que são realmente um exemplo. É o caso da Mónica Alves Pereira, de quem falei no outro dia (AQUI), e é também o caso da Raquel Brinca. A Raquel é minha amiga, é a fotógrafa que regista alguns momentos aqui para o blogue, conhecemo-nos há uns anos e por que é que ela é assim inspiradora?

Bom, porque se licenciou em Engenharia da Produção, tirou um mestrado em Etologia, estudo do comportamento, foi investigadora, trabalhou com golfinhos e com lobos, mas quando a investigação começou a não a satisfazer decidiu mudar de rumo. Fez formação na área da fotografia, uma paixão antiga, e decidiu atirar-se de cabeça. Deixou um emprego estável, quando já tinha uma filha, e criou a HUG, uma empresa de produções fotográficas que regista momentos especiais de grávidas, bebés e famílias, mas também fotografias de todo o tipo, pessoais ou para empresas, sendo que a menina dos seus olhos é a fotografia de recém-nascidos (o irresistível Baby Art - onde ela pega nos bebés e os aconchega para as fotos de uma forma absolutamente deliciosa).

A Raquel tem 4 filhos e um cão, corre maratonas, e é o pilar da família porque tem um marido cujo trabalho o obriga a passar mais tempo fora do país do que dentro. Ela dá um novo significado às 24 horas do dia e é raro, muito raro vê-la chateada, triste ou de mal com a vida. Mesmo quando tudo lhe cai em cima, ela tem aquele sorriso e aquela graça que fazem parecer que tudo está bem. Gosto muito dela, mesmo quando me diz que tenho cara de choco ou outros mimos semelhantes. De resto, ela é muito parecida comigo, nessa frontalidade quase cruel, e termo-nos tornado amigas foi como se o destino me desse a provar do meu próprio veneno. E sabem o que mais? Não só não me matou como até me tem sabido mesmo bem. :)

Em breve desvendamos todo o projecto. 

raquel.jpg

 

 

Empresária... mas pouco

Na semana passada tornei-me uma pequena minúscula empresária.

Estava uma pilha de nervos, lá no Registo, porque há papéis oficiais, e opções que têm de ser feitas, e descritivos, e códigos e tem tudo um ar muito sério e mete tudo um bocado de medo.

Felizmente a minha contabilista foi comigo e ajudou em tudo, com uma paciência de santa.

Esta semana eu e o Ricardo almoçámos com ela. Respondeu às 358 perguntas que tinha para lhe fazer sobre emissão de facturas, programa de facturação, pagamentos que posso e que não posso fazer com o cartão da empresa, descontos, IVA, e o diabo e sete. Às tantas, sinto que deixei de ouvir. Quando a conversa se torna demasiado matemática e ela e o Ricardo sacam da máquina de calcular e começam a falar em taxas, percentagens e cenas, eu flutuo para outra dimensão. No meu cérebro de letras erguem-se muros de aço quando os números ganham o protagonismo numa conversa. E isto é assim desde a 1ª classe. Mal a professora dizia "O João tinha 6 laranjas" começava logo a tremer. Afinal, se o João já tinha tido 6 laranjas era certo e sabido que quem estava lixada era eu, a ter de descobrir quantas possuía agora, raios partam o João e as suas manias de perder laranjas ou oferecer aos amigos ou apanhar outras do chão.

Enfim. Sou uma empresária com pouco talento para isto. Teme-se o pior.

Digital Rock Stars Party

Foi na quarta-feira, no Terraço do CCB, e pretendeu reunir os nomeados do prémio Blogs do Ano, da Media Capital.

Fui com a Ana (Pipoca), a Inês e a Raquel, estivemos por lá a confraternizar, e depois acabámos a jantar as quatro e foi a galhofa costumeira.

BlogsDoAno'16_5351.jpg

BlogsDoAno'16_5355.jpg

 Falando neste assunto... já votaram hoje na vossa Cocó? Não? Eissshhhhh... É votar AQUI, fáxavore.