Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Há uma semana foi assim

Antes de irmos de férias, demos um saltinho a Aveiro, para passar o dia com a minha irmã, cunhado e sobrinho. A seguir, deixámos os miúdos com eles e fomos os dois à festa de aniversário de um amigo do Porto. A festa era dos seus 40 anos e era preciso ir vestido como se tivéssemos voltado aos anos 70. A malta cumpriu com rigor (havia pessoal de bigodes até ao queixo, calças à boca de sino, fitas na cabeça, camisas com formas geométricas...) e foi... épico. 

anos 70 1.jpg

 

Cinco dias absolutamente perfeitos

No domingo, dia 17, deixámos o Manel, o Martim e a Madalena no campo de férias Sniper. A seguir, fizemos a mala do Mateus, a nossa mala. Deixámos o Mateus na casa de férias da minha mãe (de onde saí a lacrimejar um bocadinho) e seguimos viagem para a nossa casa do Algarve.

Foram cinco dias perfeitos, a dois.

Acordámos quando quisemos, corremos juntos (uma vez 10 km, outra vez 12,5), fomos para a praia apenas com uma cesta na mão. Andámos 10 km na praia. Adormecemos à sombra. Tostámos ao sol. Namorámos. Lemos. Fomos ao Fialho, à Casa do Polvo. Não jantámos duas noites. Numa dessas noites dormi 12 horas. Foi perfeito.

13754317_1021916561248559_1791865049637749479_n.jp

 

 

Obrigada a todos

Até agora recebi dezenas de emails, que vou reencaminhar para a mãe da Maia que pediu ajuda.

Agradeço do fundo do coração a vossa generosidade.

Já lhe mandei um email a pedir o NIB e o CV, dados que várias pessoas me pediram.

Mal ela me responda dou notícias.

Se não disser nada é porque nada sei ainda.

Uma vez mais obrigada.

Prontos para a praia*

IMG_5252.JPG

IMG_5262.JPG

Tão giras as t-shirts Anti Raios UV da Zippy!

É que além de ficarem giros ainda estão protegidos (factor 30).

Também já temos a outra excelente invenção da marca: pijamas anti-mosquito. Para noites tranquilas sem picadas.

Boas ideias fazem boas marcas.

 

 

*post em parceria com a Zippy

 

Pessoas com empresas no Porto: alguém?

Recebo dezenas de emails com pedidos por dia. Às vezes são só pedidos para partilhar uma foto para que vença um concurso qualquer mas outras vezes, infelizmente, são pedidos de ajuda séria. 

Como este, que me partiu o coração. Esta pessoa só quer um emprego. A ajuda que ela pede é essa: trabalhar para se reerguer. Empresários do norte (ela é da Maia, Porto): alguém pode ajudar esta mãe? 

 

"Pensei imenso se havia ou não de escrever este e-mail e é com o coração nas mãos e a corda no pescoço que o faço, não me restam alternativas.

Eu chamo-me X, tenho 23 anos, moro com o meu namorado e temos um bebé que ontem, dia 15, fez seis meses. Por não ter hipóteses de ir para a faculdade, aos 19 anos fui fazer limpezas e tomar conta de crianças para conseguir sair de casa e sustentar-me sem a minha mãe, que é a pessoa que mais mal me fez em toda a minha vida que, apesar de curta, já é tão pesada. E consegui. Trabalhei 11 horas por dia, durante anos. Até engravidar e ter o meu filho que é o meu maior amor, a minha maior obra e a minha maior dor por não conseguir dar-lhe tudo o que ele merece. Tínhamos uma vida bonita. Não tinha um trabalho de sonho, mas tinha um trabalho digno que me permitia não dever nada a ninguém e tudo o que tinha era fruto do meu suor. Até engravidar e ter o meu filho. Hoje em dia ainda é muito complicado enfrentar a entidade patronal durante uma gravidez. Em Janeiro deste ano nasceu o meu bebé e, após meses de pressão psicológica, em Abril, ainda durante licença de maternidade, fui despedida. Por telefone. Trabalhei durante dois anos, apenas me fizeram seis meses de descontos pelo que não tive direito ao fundo de desemprego. Fiquei com as despesas da casa, mais renda, carro, bebé... O meu namorado ganha o ordenado mínimo.

No início deste mês tive que contactar o meu senhorio e avisá-lo que já não tinha mais hipóteses de pagar a casa, que teria que a entregar pois pagamos um valor bastante elevado de renda e não conseguimos mais fazer frente a tantas despesas. Procuro emprego e, se digo que tenho um filho ainda bebé, todos torcem o nariz e, sem me dizerem que não, não me voltam a contactar. Na segurança social negam-me ajudas porque, pelos vistos, ter um elemento no agregado familiar a ganhar o ordenado mínimo é o suficiente para se viver à vontade. Tenho procurado casas com valores de renda mais baixos, mas nada. Chegamos ao limite. Hoje é dia 16 de Julho, tenho que deixar a minha casa ate dia 30 e não tenho para onde ir.  

O texto já vai longo e eu continuo sem coragem para pedir seja o que for. Sinto que não tenho o direito e talvez não o tenha. Mas tenho, como já disse, a corda no pescoço. Eu preciso de um trabalho. E de um tecto. Preciso de um trabalho que me permita dar ao meu filho algum conforto e preciso de uma casa com uma renda baixa, com as condições minímas. Lembrei-me que, pela enorme quantidade de pessoas que lêem o seu blogue, alguém me pudesse ajudar, alguém soubesse de alguma coisa.

Tenho o 12º ano. Tomo conta de crianças desde os 14 anos (tenho cartas de recomendação), faço limpezas, lojas, part-time, full-time... Sónia... qualquer coisa. Só quero erguer a cabeça. Só quero olhar para o meu filho sem chorar por não saber que rumo tomar. Só quero respirar. Preciso de respirar. Tenho um filho."

 

Se alguém puder ajudar envie email para sonia.morais.santos@gmail.com, que eu reencaminho para a pessoa em questão.

Muito obrigada.

Sobre o atentado de ontem

Não consigo dizer nada. Nada de jeito. Desculpem.

Isto mexe demasiado comigo.

A Madalena teve insónias, eram 4 da manhã e ela não dormia, eu não dormia, o Ricardo não dormia... 

As imagens, imaginar o horror daquela noite.

E esta coisa de começar a ter medo de um concerto, de ir para a praia, de apanhar um avião, de estar no meio de muita gente... esta coisa do terror inesperado, da morte que chega violenta vinda sabe-se lá de onde... esta coisa está a dar-me a volta ao miolo. 

Dar sangue é dar vida

Termina hoje a 15ª campanha anula de recolha de sangue do Instituto Português do Sangue e Transplantação e da Mundicenter e eu fui aproveitei para lá ir ao Amoreiras Shopping Center para fazer o meu papel. 

Sou dadora de sangue há uns anos mas agora, com a gravidez e o período de amamentação, já não ia há uns bons tempinhos. Sou 0RH negativo e, por isso, sinto ainda uma maior obrigação em dar sangue.

sangue.jpg

Não custa nada, é um instantinho, uma picadinha ridícula, e podemos realmente fazer a diferença. Porque os hospitais estão sempre a precisar de sangue.

Durante os 14 anos de campanhas de recolha de sangue nos shoppings da Mundicenter, 27.080 pessoas registaram-se como dadoras de sangue, foram obtidas mais de 18.000 unidades de sangue e ajudadas mais de 55.500 pessoas.

Sabiam que porque por cada pessoa que dá sangue, 3 são salvas?

Este ano, a campanha tem como slogan “No meu sangue há o melhor de mim para si” e conta com o apoio de Carminho e Tiago Bettencourt enquanto embaixadores desta campanha

 

Maltinha: têm até às 20h de hoje para irem ao Amoreiras Shopping Center, ao Arena Shopping, ao Strada, ao Oeiras Parque, Spacio Shopping ou Braga Parque para darem um pouco de vocês e salvarem vidas.

Amour d'Été

Ponto prévio: não gosto de Birkenstock para mim. Quando a Filipa, da Amour d'été me contactou para oferecer umas eu agradeci muito mas expliquei que não gosto, não faz o meu estilo, não dá. :) Nada contra quem usa, nada contra quem gosta, confesso que às vezes vejo em algumas pessoas e gosto de ver. E já sei que são super-mega-hiper confortáveis e tal e coisa. Mas para mim não, obrigadinha. Ainda assim, a Filipa quis oferecer à Mada. E como em crianças gosto de ver lá vieram as sandálias prateadas. São bem giras, muito confortáveis, de facto, e ela está encantada.

A Amour d'Été oferece um desconto de 25% em todas as sandálias de criança aos leitores do Cocó até ao final do mês de Julho. Podem comprar através da página www.amourdete.pt, onde terão de inserir o código BSMS16.

Quaisquer dúvidas podem ser esclarecidas através do facebook ou por email: amourdetee@gmail.com

IMG_5211.jpg

 

 

Uma semana de formação para adolescentes

Pessoas com filhos adolescentes ou pré-adolescentes, esta é para vocês!

A Palavras Ditas (uma empresa vocacionada para a formação na área da comunicação e para a produção de conteúdos em língua portuguesa) organiza umas férias criativas para adolescentes e pré-adolescentes na semana de 25 a 29 de Julho. Voz, Representação, Desenvolvimento de Comunicação e Televisão. Mário de Carvalho e Nuno Eiró são os formadores. Das 09h às 18h (com almoço, merenda da manhã e da tarde). O preço? 180 euros.

As incrições são limitadas e em caso de mais de uma inscrição têm 15% de desconto. 

geral@palavrasditas.pt

961210734

Captura de ecrã 2016-07-13, às 19.58.27.png

 

Quem é amiga, quem é?