Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

O mundo é um lugar estranho

Acordei ontem ao som das notícias na televisão e percebi logo que tinha havido asneira. 

Abri um olho, perguntei "o que foi?" e ele respondeu "um atentado no aeroporto de Bruxelas". 

Pronto.

Passei o dia a ver as actualizações, as imagens, a mesma incredulidade de sempre com o vazio destas pessoas que matam sem dó nem piedade e para quem a vida vale tão pouco.

O Manel, quando acordou, olhou para a televisão, depois para mim e perguntou:

- A sério, mãe? Outra vez isto? Mas porquê? Porquê???

E eu com tão pouco para lhe responder. Tão pouco que faça sentido.

Ontem foi um dia triste. Mais um. Um daqueles dias em que é impossível não olhar para os nossos filhos e pensar que mundo é este que lhes deixamos para viver. 

Fiz as malas com um nó na garganta, a pensar que estes animais não hão-de conseguir tolher-nos os movimentos (mas com um certo alívio - confesso - por irmos viajar para São Miguel e não para Paris, Londres, Bruxelas ou outra capital do mundo).

Concerto Solidário Médicos do Mundo

É já amanhã este concerto, a primeira acção da campanha "SOMOS TODOS VÍSIVEIS", que tem por objectivo angariar fundos para suportar os vários projectos que a Médicos do Mundo actualmente desenvolve em Portugal – através do apoio a populações em risco, a idosos e a jovens, possibilitando à associação continuar a levar cuidados básicos de saúde gratuitos às populações mais vulneráveis e combater a sua discriminação.

O evento vai acontecer no Teatro Tivoli BBVA e conta com a apresentação da Embaixadora da Médicos do Mundo, Sílvia Alberto, e a participação de vários artistas que se aliaram a esta causa, entre os quais Ala dos Namorados, Camané, David Fonseca, Fado Dançado, João Só, Jorge Palma, Marta Ren, Pedro Abrunhosa, Sara Tavares, Sérgio Godinho, Soul Gospel Project e Yolanda Soares.

Eu vou estar nos Açores mas se estivesse por cá ia tentar não faltar!

CARTAZ MÉDICOS DO MUNDO.jpg

 

 

 

Casas onde a cocó não se importava de morar #76

Agora que vou começar a trabalhar no Chiado, isto vinha mesmo a calhar. Fica mesmo no coração do Chiado, tem 2 pisos em 300m2 e um jardim com 110m2. No rés do chão está a cozinha, um lavabo social, sala de estar e jantar, ambas com acesso ao jardim. No primeiro piso há 2 quartos, uma sala/biblioteca, casa de banho completa de apoio e suite principal com um walk in closet. Da suite há um acesso a um terraço amplo com vista sobre o jardim. 

É tãooooooooooo linda!

Começava a empacotar a vida já!

(pena custar 1.800.000€) 

CHIADO 1.jpeg

CHIADO 2.jpeg

CHIADO 3.jpeg

CHIADO 4.jpeg

CHIADO 5.jpeg

CHIADO 6.jpeg

CHIADO 7.jpeg

CHIADO 8.jpeg

 

 

Novo difusor, ainda mais perfume*

Gosto de lugares que têm um cheiro. Bom, de preferência.   Há lugares, de resto, onde eu poderia voltar de olhos fechados e rapidamente descobrir onde estava. A Malhadinha, por exemplo. Conheço-lhe o cheiro de cor. Ou a minha primeira casa, na Praça das Flores. Ou a minha casa do Algarve. A memória olfativa, no meu caso, é fortíssima. Basta-me um cheiro para me trazer à lembrança uma série de recordações. Como num filme.

Já tentei imprimir um perfume à minha casa mas não é fácil. Espalho velas, difusores, pauzinhos mergulhados em líquido perfumado. Nunca parece ser suficiente. A verdade é que a casa não é tão pequena quanto isso e a verdade também é que somos muitos - pessoas e cão. 

Ora, Air Wick acaba de lançar um novo difusor eléctrico que parece ir mesmo ao encontro das minhas necessidades. O novo difusor permite regular a intensidade consoante o pretendido ou adaptá-la ao tamanho da divisão onde o mesmo se encontra.

Quando recebi o press kit, com os difusores, pensei que fosse mais ou menos igual aos outros Air Wick que já conhecia (aquele difusor que deita um spray de x em x minutos, conforme a regulação que se escolher). Mas é realmente diferente. Este difusor tem cinco níveis de intensidade e é mesmo muito mais eficaz, mesmo em espaços grandes. Em menos de nada, colocando o difusor no nível máximo, senti a sala ficar perfumada. Tanto que até tive de reduzir o nível de intensidade - e olhem que sou dada a achar sempre que não cheira a nada! 

Além disso, este novo difusor é ainda mais económico, gastanto menos energia proporcionalmente a mais horas de fragrância (até cinco vezes mais!).

Também pela primeira vez o novo difusor eléctrico está disponível noutra cor que não o tradicional branco: a nova cor mocca, disponível com duas referências de cor: Delícias de Verão e Nenuco. Assim, o consumidor pode escolher o difusor com a cor que mais se adequa à decoração da sua casa, tornando-o ainda mais apelativo e elegante em qualquer divisão.

Acho que é desta que encontrei o difusor certo. Quanto ao perfume... já tenho o meu eleito: White Bouquet. 

Se bem que há uma edição especial de fragrâncias bem boas: Branco com Lavanda, Oásis Turquesa e Satin & Moon. Esta edição especial é em mocca.

Experimentem e.... hummmmmmm! Que cheirinho! 

air wick.jpg

 *Post escrito em parceria com Air Wick

 

 

Eu, mariquinhas me confesso

Esta história do meu joelho não tem importância alguma. Nada. Zero. 

Em princípio, se tudo correr bem, em breve estarei de volta às caminhadas, às corridas, e a tudo aquilo de que gosto de fazer. Ontem já consegui ir ao cinema sem canadianas.

Há pessoas que um dia perderam a capacidade de andar e que nunca mais o vão poder fazer. 

Essas pessoas, sim, são heroínas por ultrapassarem tamanhas adversidades que a vida lhes colocou.

Sim, eu fui mariquinhas e choramingas. 

Sabem que mais? Nem eu me reconheci. Ainda estou para perceber o que raio foi aquilo e por que razão me bateu tanto. Tenho andado para aqui danada comigo, porque me julgava muito mais forte do que isto. E afinal não. 

Já passei por coisas muito mais duras que ultrapassei de forma racional e inteligente e valente. E agora veio um menisco e trouxe toda esta frustração desproporcional, como se fosse o fim do mundo. Há cenas mesmo esquisitas. Mesmo esquisitas.  

Mas pronto. As coisas são como são e deve haver uma razão qualquer para eu ter sentido isto desta forma hiperbólica. Ou então era mesmo só o universo a querer mostrar-me que não sou tão tesa como achava que era. 

Ponto da situação actual: assumo a lição de humildade, aceito o meu pendor melodramático (apesar de não estar lá muito contente com ele), e cumpro todas as ordens médicas para voltar ao activo. Nomeadamente os 500 exercícios por dia, ao som dos estalidos que o sacana do joelho faz. 

 

 

 

 

Quarto

Sufocante. Claustrofóbico. Perturbador. 

Fiquei com falta de ar, nauseada, triste, sem conseguir verbalizar coisa alguma.

A Brie Larson faz um papelão e o miúdo merecia um Óscar. Se não se estragar (ou se não decidir apenas seguir um rumo diferente) vamos de certeza ouvir falar muito no nome de Jacob Tremblay.

quarto.jpeg

 

Uma ilustração por uma boa causa

E Eunice Rosado é ilustradora e tem muito talento. É, além do mais, uma pessoa querida.

Agora, com a sua cadelinha Canela doente com uma insuficiência renal, está a angariar fundos para conseguir pagar as despesas de veterinário. Todas as encomendas feitas até ao final do mês têm uma promoção:

Retrato do animal de estimação

1 elemento (animal) 30€
2 elementos 50€
3 elementos 65€
4 a 6 elementos 80€
O pagamento é feito no acto da encomenda, por transferência bancária, o recibo é enviado por ctt, o trabalho é entregue por mail - ficheiro de impressão de alta resolução A3. As entregas serão feitas até 30 de Abril. 
Podem saber mais AQUI.

As melhoras, Canela!

eunice.jpg

 

 

Feliz Dia do Pai (I)

Lembro-me muito bem de sentir um orgulho dos diabos de andar na rua de mão dada com ele.

Achava-o um homem mesmo giro e elegante, bem vestido e muito bem cheiroso.

Tinha sempre negócios importantes, estava sempre ocupado, com ideias e problemas e ideias para resolver os problemas.

Lembro-me de me afligir um bocado o stress em que ele andava sempre e de achar que a vida dos adultos devia ser o cabo dos trabalhos.

Foi a minha mãe que se encarregou da minha educação mas ele tinha algumas obsessões como ensinar-me a comportar-me irrepreensivelmente à mesa, a gostar de fado, a saber a tabuada de cor e salteado, ou a jogar xadrez Infelizmente não foi bem sucedido nestas duas últimas.  

Fez-me rir muitas vezes com o seu sentido de humor realmente hilariante (nos dias em que estava bem disposto). Numa festa, num jantar, enchia a sala com as suas histórias mirabolantes, com as anedotas, com as cantorias. 

Há coisas que não correram tão bem mas crescer também é relevar estas e preferir recordar as outras. 

Feliz Dia do Pai.

PAI 1.jpg

PAI 3.jpg