Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Mais Música Mais Ajuda

CAIS +MUSICA +AJUDA_POSTER.jpg

Ora cá está um belíssimo projecto que me dá mesmo gosto divulgar.

Durante seis meses, através de 10 concertos em Lisboa e no Porto, o projeto + Música + Ajuda vai juntar alguns dos melhores artistas portugueses num movimento solidário para ajudar a melhorar as condições de vida de centenas de pessoas em situações vulneráveis, acompanhadas pela Associação CAIS diariamente.

Toda a receita proveniente de bilhetes vendidos - repito TODA A RECEITA - será revertida para a Associação CAIS aumentar o número de pessoas acompanhadas e o número de refeições servidas.

O primeiro concerto do festival será já no próximo dia 29 de Janeiro, sexta-feira, e conta com as atuações de The Black Mamba e d´O Martim no Estúdio Time Out, em Lisboa, e Frankie Chavez e For Pete Sake no Plano B, no Porto. 
 

Aos concertos de abertura seguir-se-ão vários espetáculos musicais em Lisboa e no Porto, que irão culminar num dia de festival de música solidário no Estádio do Restelo no dia 4 de Junho.

Próximas datas e confirmações no facebook Mais Música Mais Ajuda 

Obrigada, Worten!

Numa casa onde há crianças e cães (como esta), um aspirador com filtro de água é, sem dúvida, a opção certa. Que o diga minha santa Emília, que vem com frequência mostrar-me o conteúdo do filtro, que é basicamente um cão inteiro todo molhado dentro de um recipiente. Sempre que a casa é passada a pente fino com o aspirador de água, até cheira a limpo! 

A Worten ofereceu-nos um modelo que promete chegar a todo o lado e deixar a casa mais higiénica. Chama-se Becken Aquapower e tem escovas que nunca mais acabam e aspira sólidos e líquidos e deixa tudo a brilhar, o que convém sempre mas sobretudo quando se tem crianças que gatinham, que se deitam no soalho a brincar, que apanham bolachas do chão... enfim, vocês sabem. Eis o bicho, para que vejam que além de eficiente é todo catita. Estamos a adorar a experiência. Obrigada, Worten! 

ASPIRADOR A AGUA BECKEN AQUAPOWER_Fotografia.jpg

 

 

NIT

Sou fã da NIT desde que começou. Acho um projecto fresco, com ideias giras, artigos interessantes, sugestões de lugares a visitar, coisas para fazer, e muito humor. Há títulos mesmo divertidos, como ESTE, só para dar um exemplo.

Fui entrevistada pela Marta Chaves, na semana passada, e deixo-vos a entrevista em vídeo AQUI (que é apenas um pequeno excerto da conversa enorme que tive com a Marta) e a entrevista escrita AQUI.

Captura de ecrã 2016-01-25, às 11.43.28.png

 

Entrar e "estar em casa"

anabela e andré.jpg

Foto: Paulo Spranger, Global Imagens

 

A minha querida amiga Anabela Mota Ribeiro está a organizar uma iniciativa espectacular que vai decorrer no próximo fim-de-semana, em Lisboa. Chama-se "Estar em Casa" e vai abrir todos os espaços do Teatro São Luiz a convidados. Vai haver espectáculos de música, dança, teatro, vai haver conversas, leituras, e sobretudo vai haver uma espécie de desconstrução do teatro. Uma ocupação. O teatro, onde só alguns entram, vai poder ser "esventrado" por todos, numa partilha pela comunidade que permite que todos e cada um se sintam verdadeiramente "em casa". A curadoria é da Anabela e do André Teodósio. Podem saber mais AQUI, neste artigo feito pela minha João, e consultar o programa AQUI.

Adoro a ideia!

Nós vamos!!!!!

 

Quero-te Well's desde o primeiro dia*

wells (1).jpg

A Well's tem a decorrer mais uma fantástica campanha dedicada ao bebé a não perder!

Até 7 de Fevereiro, há descontos até 25% em Cartão Continente nas melhores marcas de produtos para os bebés e suas magníficas mamãs, assim como em tratamentos especiais para aquelas que acabaram de ser mães, nos Centros de Estética Well's. E que marcas são essas, perguntam vocês? As melhores: Uriage, Mustela, Barral e Chicco, tudo com descontos até 25% em Cartão. E de que produtos falamos? Falamos de termómetros digitais, falamos de compressas, de soro fisiológico, água do mar, discos de amamentação, creme gordo hipoalergénico, entre muitos outros! E no que toca às recém-mamãs, de que miminhos falamos? Falamos de 30% de desconto em Cartão Continente em tratamentos especiais que incluem drenagem linfática manual e pressoterapia, eletroestimulação muscular / ginástica passiva, massagens localizadas e radiofrequência no corpo, a partir de 19,50€.

E ainda... no âmbito desta campanha, a Well’s lança em exclusivo em Portugal aa WaterWipes, as toalhitas para bebé mais puras do mundo, feitas com ingredientes naturais, sem químicos e sem perfume, constituidas por 99,9% água e 0,1% extrato de semente de toranja. Durante a campanha Especial bebé estarão ainda com 10% de desconto em Cartão Continente.

 

Mas há mais! Em qualquer loja Well’s pode ainda fazer a sua “Lista de Nascimento” para que os seus familiares e amigos possam adquirir os produtos de que mais gosta para o seu bebé. Ganhe ainda um Cartão Presente Well’s até 20% do valor total da lista.

Aproveite também a Campanha do Bebé na loja online em wells.pt, beneficiando de 10% em Cartão Continente sobre todos descontos desta campanha. Em exclusivo na campanha Especial Bebé, beneficie de entrega gratuita, em compras superiores a 30€.

 

Que tal? É de aproveitar ou não?

 

*post escrito em parceria com a Well's

 

Não sabia que os vidros explodiam

Saímos de Póvoa Dão logo a seguir à hora do almoço, para dar tempo para irmos votar. O GPS dava previsão de chegada para as 17.45, o que significava uma boa margem.

Nunca na minha vida falhei um dia de eleições, não ia ser desta.

Estávamos em plena Auto-estrada a caminho de Lisboa quando, de repente, há um estoiro que parecia um tiro. Dentro do carro, subitamente uma ventania, vidros pelo ar, os miúdos que vinham a cantar e a brincar calados e atordoados, o Ricardo a sacudir vidros da cara só perguntava, aos gritos, "estão todos bem? Só quero que me digam se estão todos bem!" e, apesar de todos respondermos que sim, ele continuava numa tentativa desesperada de se certificar que estávamos MESMO todos bem. Eu não conseguia falar, só tremia e olhava para todos para perceber se ninguém estava ferido, mesmo que ainda não tivesse compreendido bem o que raio nos tinha acontecido. Só percebia que o vidro do lado do Ricardo já não estava lá, desfeito em milhões de pedaços.

Felizmente estávamos perto de uma área de serviço. Encostámos, saímos do carro, todos às apalpadelas em busca de vidros, a Madalena com um dedo a sangrar, eu abraçada ao Ricardo com as pernas como varas verdes.

Até agora não sei o que nos aconteceu. Juro que pensei que tivesse sido um tiro mas nem o Ricardo é o Kennedy nem eu sou a Jackie, e não me parece muito plausível que alguém tivesse decidido disparar contra nós e ainda estivéssemos vivos (mas ainda andei à procura de uma bala no carro, só para perceberem o estrondo que foi). Lembro-me de ver um carro ao nosso lado, não sei porque é que tenho essa imagem na cabeça, mas provavelmente terá sido uma pedra que saltou quando esse outro carro passou por nós.  

Ligámos para a assistência em viagem, porque não nos parecia possível continuar de Pombal até Lisboa com o carro naquele estado. Mas, depois de uma hora e meia à espera que a companhia se decidisse se era para mandar o reboque e o táxi ou não, lá veio o veredicto: a seguradora não cobre vidros que explodem sem razão aparente. De maneira que pagavam o nosso transporte mas nós teríamos de pagar o transporte do carro. Sendo assim, deixa lá, obrigadinha. Abrimos as malas, vestimos camisolas e casacos, gorros, embrulhámo-nos em mantas, ligámos o ar condicionado e seguimos viagem. Todos um bocado aparvalhados com o que nos aconteceu.

Chegámos bem mas já não a tempo de votar.

Expliquei aos miúdos o que eles estão fartinhos de saber: que nunca na vida deixei de votar e que tenho algum desprezo por quem o faz por displicência, preguiça ou por os políticos "serem todos iguais". Morreram muitas pessoas para que tivéssemos este direito e acho que o mínimo que podemos fazer para as honrar é ir lá e meter uma cruz num dos quadradinhos ou fazer um falo impertinente, para mostrar a nossa indignação. Não ir é que não. A não ser nestes casos, em que um imprevisto nos lixa os planos. Ontem acabou por ser um dia um bocado triste para mim. Felizmente não nos aconteceu nada de grave, e isso é o que mais importa, mas não exercemos o nosso direito e o nosso dever e isso deixa-me mesmo frustrada.

 

Ah, dizer que quando cheguei a casa e mudei a fralda ao Mateus... havia vidros lá dentro! Foi mesmo uma cena do demo. 

Viagens na nossa terra #2

A minha irmã é a culpada. Tinha ido a Póvoa Dão (Viseu) namorar há 10 anos e fartou-se de elogiar tudo, de tal maneira que fiquei sempre com vontade de lá ir. Os anos foram passando e nunca fui. Mas nunca me esqueci do nome daquela aldeia e, com a nossa resolução de Ano Novo de irmos mais vezes com os miúdos em passeios pela nossa terra, foi desta. Convidámos a minha irmã, cunhado e sobrinho e chegámos praticamente ao mesmo tempo, na sexta-feira.

Póvoa Dão era uma aldeia do século XIII que foi recuperada em 1995, respeitando a traça original das casas. Algumas foram vendidas, outras podem-se arrendar para um fim-de-semana ou férias de descanso total, porque fica no meio de coisa nenhuma, só árvores e passarinhos e demais bicheza tranquila, e também o rio Dão, que serpenteia por ali e que dá à paisagem a beleza que só a água oferece, sobretudo com as suas mini-cascatas em contraste com as zonas em que é tão quieto e brilhante como um espelho.

Passámos o sábado sossegados, passeámos pela aldeia, fomos até ao rio, andámos junto à margem, sentámo-nos junto a uma queda de água, apreciámos o silêncio.

Foi uma pena o restaurante de Póvoa Dão estar fechado porque li que é muito bom (fechou em Setembro, creio que até ser de novo época alta), mas encontrámos um excelente em Canas de Senhorim, o Zé Pataco, onde comemos muito bem.

Os rapazes jogaram pingue-pongue com um jogo que comprámos na Decathlon e que é uma rede adaptável a qualquer mesa, brincaram com uns cães que andavam por ali, nós andámos a molengar (nem rede existe, por isso nem net para ninguém), o meu cunhado fez guacamole com nachos e burritos com chili para o jantar, e ficámos ao borralho.

Hoje foi mais do mesmo, até ser hora de voltar. Precisávamos de mais uns dias daquele sossego, daquele cheiro a terra molhada e a lenha a arder, do silêncio absoluto, da paisagem bucólica, do nada para fazer. Fica para a próxima escapadinha, um dia destes. Uma coisa é certa: o nosso país tem recantos mesmo bonitos, que vale a pena conhecer. 

 

Póvoa Dão1.jpg

pinguepongue.jpg

Mada, tim e João - Póvoa Dão (2).jpg 

todos - póvoa dão.jpg 

póvoa dão 3.jpg

Manos - Póvoa dão.jpg

Eu - Póvoa dão.jpg

12549133_906729676100582_811628426343012031_n (1).jpg

Botas .jpg

manel e mati.png

todos 2 - póvoa dão (1).jpg

joão maria - Póvoa dão.jpg

Cães - Póvoa Dão.jpg

Póvoa Dão: 232 958 557

povoadao@grupo-catarino.pt

http://www.povoadao.com/

Apanhámos uma promoção de 135€ por noite no T3 que antes custava 185€. É aproveitar!