Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Desmame

Ora, várias pessoas pediram para contar como fiz o desmame do Mateus e, como sei que este tema é difícil, cá estou para contar como foi. Na verdade, foi o desmame mais fácil e bem feito dos quatro, e não, não me parece que seja a experiência, acho que foi mesmo sorte, porque a experiência não nos livra de dificuldades quando eles são tramados para qualquer coisa - o Mateus já me lixou muitas noites e também já passou vários dias sem comer quase nada, e de nada me valeu a experiência, houve momentos em que simplesmente não soube bem como agir. A diferença está na descontracção. Se ao primeiro era capaz de ficar inquieta, agora simplesmente estou-me nas tintas - não dormiste hoje, hás-de dormir amanhã; não comeste hoje, hás-de comer amanhã. Adiante.

O que aconteceu foi que ele começou a mamar apenas de manhã e à noite. Durante o resto do dia comia sopas e carne e peixe e legumes e iogurtes e... enfim, o normal. Depois, começou a mamar só de manhã, porque à noite adormecia depois de jantar e já não mamava à noite. Ou seja, como os pedidos foram sendo menores, a produção diminuiu muito. De tal modo que, às vezes, percebia pelo seu olhar que o leite já não seria assim em grande quantidade porque ele mamava e ficava a olhar para mim como quem diz "é só isto?" E, na verdade, daí a pouco tempo estava a pedir comida (ele aprendeu cedo a fazer aquele som com a boca a pedir alimento). De modo que foi assim... um dia dei-lhe biberão. No dia seguinte mama. Depois biberão. Depois só um bocadinho de mama para consolo. Até perceber que já só sobrava um restinho e que ele já sorria mais para o biberão do que para a mama, tipo: "Enaaaaa, hoje há banquete, não é dieta!". Um dia não dei mais. E ele nunca mais se lembrou. E tinha sido um mamão, sempre à procura de consolo na mama, juro que pensei sempre que ia ser um dramalhão acabar com a mama. Não foi. Foi bestial. Adorei amamentar mas, como disse, ambos sentimos que tinha chegado o momento e isso foi fixe também. 

Mateus, afinal, prefere dormir a nadar

Ontem o Mateus rosnou na aula de ISR. Sempre que a Estela lhe punha as mãozinhas na parede, para ele se agarrar, ele resmungava um "na, na na", como que a dizer "esquece, não estou para isso!" A aula foi mais curta porque claramente o rapaz não estava a adorar. Hoje... foi pior. Chorou e chorou e chorou. Mas não era choro de sofrimento, era choro de zangado, de quem quer estar sossegado e agora tem esta cena todos os dias. Aliás, a cara dele ao colo da Estela era de "mas então... outra vez este filme?"

A verdade é que ele gosta de dormir de manhã. É pessoa que acorda, bebe o seu leitinho, e depois volta a enroscar-se. Boas vidas! Acho sinceramente que esta coisa de às 9h10 da matina estar de molho está a dar com ele em doido. No primeiro dia da aula ficou de tal maneira cansado que dormiu uma sesta de 3 horas! Ele que é tipo professor Marcelo (dorme sempre às meias-horas...). A minha mãe até foi verificar se respirava. 

Neste momento está todo estrumado na cama. De rastos. Há... quase 3 horas!!!!!

A ver vamos se isto melhora com o tempo ou se vai continuar a rosnar às aulas. (não me parece um bom prenúncio para o seu percurso académico, mas enfim...)