Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Uma dúvida existencial que coloco aos médicos que me leiam, com a devida vénia

Por coisas cá da minha vida, tenho trabalhado intensamente com médicos e falado praticamente todos os dias sobre doenças. Adoro. A minha hipocondria é do tipo curioso e, no fundo, há um médico dentro de mim, entusiasmadíssimo com genes, vírus, bactérias e moléculas. Claro que isto não me facilita a vida porque, com o pavor que tenho de falecer (ou que algum dos meus amores faleça), quanto mais sei sobre o fascinante corpo humano mais estremeço por compreender que há tanto por onde falhar que o espantoso é que não falhe. E é isto que gostava de perguntar aos médicos:
- Médicos: como conseguis vós não ensandecer perante tanto conhecimento sobre todas as pataletas que podem acometer o ser humano? Como conseguis manter-vos imunes ao receio de adoecer ou mesmo quinar se há tanto que pode dar efectivamente para o torto?

Muito obrigada pela atenção.
Bem-hajam.

Fim-de-semana

Graças ao amigo Primperan, melhorei substancialmente e ontem consegui passar uma tarde animada, em São João da Caparica, e até comer petiscos vários sem abraços forçados à sanita. Olé! O Manel esteve quatro horas a jogar paintball com os amigos e o Martim e a Madalena estiveram quase o mesmo tempo nos insufláveis. A seguir ainda fomos jantar em casa de amigos, de maneira que ontem foi um fartar vilanagem de animação.
Hoje foi dia de conhecer melhor o meu compadre e respectiva família, com um almoço de futuros padrinhos, em casa de big-big friend. E que bem que se esteve.

Só foi pena ter chegado a casa com vontade de fazer uma tarte de maçã como as que a minha mãe fazia para os nossos lanches ajantarados de domingo e, por ter passado mal a receita, ter ido a primeira versão  directamente, não para os nossas gulosas barrigas, mas para o lixo. A segunda versão, já corrigida, está no forno, mas o chantilly, que me atrevi a tentar na Bimby, virou manteiga e conheceu o mesmo destino que a primeira tentativa de tarte… Hoje a minha mão de pasteleira está um verdadeiro desastre. 

25 de Abril sempre

Ontem queria ter aqui vindo fazer a minha respectiva vénia ao Dia da Liberdade mas, infelizmente, passei o dia abraçada à sanita o que, convenhamos, não é a mais bonita forma de celebrar a revolução.
Fica hoje a minha singela homenagem que não podia faltar.


Amanhã, a não perder - MESMO!

Uma conferencia virada para o futuro da nossa democracia, sem discursos intermináveis mas sim talks de 5 minutos, com 20 oradores com ideias concretas para melhorar a nossa democracia! É um Ignite a não perder! Com Otelo Saraiva de Carvalho porque os capitães foram os "maiores" há 40 anos, com um beer break para conversarmos, com musica, com muita gente, como as celebrações do 25 de Abril deveriam ser! 
Dia 25 de Abril, a partir das 18h no Museu da Eletricidade

Não percam! 
 Mais info AQUI
VAI VALER MUITO A PENA!
Eu vou!

Foi você que pediu?

O link do Portugal no Coração?
AQUI está.
Diz que é ao minuto 35 que aqui a vossa Cocó aparece.

Entretanto, já fui ao Diário da Manhã, da TVI 24, e ao programa da manhã da CMTV, com a Maya e o Nuno Graciano. A querida Sandra continua apostada em ser a fotógrafa oficial das minhas aparições no pequeno ecrã. Farto-me de rir: sempre que saio do estúdio recebo dezenas de fotos que ela tira à televisão. Quem tem amigas assim tem tudo, é só o que vos digo!

Foi bonita a festa!

Foi ontem e não podia ter corrido melhor. A Rita Ferro Rodrigues foi excelente, mas assim mesmo top, top, top, 6 estrelas! Eu tinha a certeza que seria mas é incrível como ainda conseguiu ser melhor. Conseguiu resumir o meu livro de forma brilhate, e dizer tudo com uma eloquência espantosa e, sobretudo, com um entusiasmo tal que me deu vontade de ir a correr comprar o meu próprio livro!
Love uuuuuuu, Rita!!!!!
Agradecer à Esfera dos Livros, que acreditou que eu seria capaz de levar a cabo esta empreitada.
Agradecer à Fnac, que me acolheu tão bem.
Agradecer à querida Raquel Brinca, da HUG, que me fotografou para o livro e que ontem, em vez de ir e ficar sentadinha a assistir, não, levou a sua amiga máquina fotográfica e captou os melhores momentos. 
Agradecer a toda a minha família, que marcou presença, sobretudo à minha irmã, cunhado e querido sobrinho, que vieram de Aveiro de propósito para estar comigo. Que surpresa maravilhosa!
Agradecer aos meus amigos, tantos, muitos de infância e adolescência, que nunca perdi de vista e que nunca deixam de estar comigo nos momentos importantes (bons ou maus); e aos outros, novos amigos, que não param de me surpreender com gestos de tão grande ternura.
Agradecer a todos os leitores, dos jornais ou do blogue, que apareceram para a apresentação e que me disseram coisas lindas que - juro - não sinto que mereça.
Agradecer o esforço de todos que, num dia de semana, a um final de tarde, que é sempre complicado por causa de todas as tarefas árduas que se seguem em casa, não quiseram deixar de marcar presença.
Caramba… foi uma noite mesmo especial.
Muito e muito obrigada.





É hoje!

Comecei o dia na TVI, no Diário da Manhã. Ainda não preparei o lançamento mas vou fazê-lo mal engula o almoço para não fazer a figurinha triste que fiz quando foi a apresentação do livro do Cocó, em que fiquei muda e queda de emoção e também por ter achado que os meus apresentadores já tinham dito tudo.
Hoje é natural que a Ritinha diga tudo também, que ela é uma excelente apresentadora, inteligente e sagaz, por isso tenho mesmo de alinhavar umas coisas para dizer, se não quero ficar para ali estarrecida.
Por falar em Ritinha, deixo-vos a sua página oficial. Se ainda não gostam… gostem. Além de uma profissional do caraças é uma amiga muito querida. É só ir AQUI.
A gira e o meu mai novo.


E já sabem… lá vos espero. Às 18.30 na Fnac do Colombo.

Portugal no Coração

Fui hoje. Amo de paixão o Jorge Gabriel, excelente apresentador e uma pessoa mesmo boa, genuína, what you see is what you get. Conheço-o há anos e há anos que tenho dele a melhor das impressões, uma daquelas empatias cósmicas. A Marta Leite Castro não conhecia mas foi um amor. Não me pareceu nada cagona, que é uma daquelas doenças que acometem, por vezes, as apresentadoras de televisão. Simpática e acessível. E a conversa fluiu e até beijos em directo ganhei!


Esta bonita selecção foi feita pela maluca da Sandra Ramos Claro, que é uma amiga mesmo querida e que se pôs diante da televisão a fotografar como se não houvesse amanhã.

Nos próximos dias, vou andar a pular de canal em canal, feita douda!

Mojito: um bom aliado no combate à obesidade mórbida (porque da outra já pouco escapo)

Quando me dá a fome durante a noite (há momentos destes na vida), só de pensar que posso abrir a porta e encontrar cocó pisado, xixi espalhado e um cheiro nauseabundo... desisto de atacar o frigorífico ou a despensa.
Obrigada, cão.
Talvez ainda vejam fotografias minhas, escultural, agarrada ao bicho e a dizer: "Foi ele que mudou a minha vida". Nunca se sabe...