Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

To. Be Burger

O almoço hoje foi no Chiado. Andávamos há que tempos para ir ao To. Be Burger, na Rua Capelo, e foi desta. Fomos com a querida amiga Maria João e os filhos e comemos lindamente. Ficámos impressionados com a fila que estava à porta quando chegámos e que se mantinha, quando fomos embora. Não admira. O restaurante é muito giro e os hambúrgueres bem bons. Escolhi um Hot (com pimentos padron) e adorei a combinação de sabores. Recomendo. Mas aconselho a que vão cedinho. Não reservam mesa e podem encontrar uma bela fila.


Presente de Natal

Os senhores da Playstation, fofinhos que só eles, enviaram cá para casa o jogo dos Invizimals. O Ricardo, quando viu o jogo em cima da mesa perguntou:
- Mandaram-te?
Depois de ter dito que sim, o homem, pragmático, disse:
- Óptimo! Podes guardar e já temos presente de Natal para o Martim!
Eu: - Eeeeer.... não! Não fomos nós que comprámos... e o Martim já pediu outra coisa.
Ele: - Então, mas ele vai adorar na mesma! E não comprámos mas mandaram para ti...
Eu: - Sim, mas o miúdo não pediu o jogo para o Natal!
Ele: - Mas eu consigo que ele peça! Vais ver. Basta dizer: "Uau! Saiu o novo jogo dos Invizimals! Tu gostas tanto dos Invizimals! Acho que o jogo e espectacular! Xiiii, quem me dera ter aquele jogo! Olha, grande presente de Natal que podes pedir!" E pronto! Ele vai logo querer um para si. E vai adorar porque já ouvi dizer o jogo é mesmo giro.

Passou esse dia. Eu, nada convencida, deixei o jogo em cima da mesa. O Martim chegou da casa e ficou doido com o jogo.
Hoje, à hora do almoço, com o Ricardo:

Ele: - Ja vi que deixaste o jogo em cima da mesa e que o Martim o viu.
Eu: - Sim.
Ele: - Ele pediu-me para o deixar jogar mas eu disse que não podia ser. Que era um presente de Natal.
Eu: - Mas não é.
Ele: - É, é. O presente de Natal dele! Não vês? Agora é ainda melhor! Já viu o jogo, já o desejou, já pediu para jogar, já ficou com pena de não ter jogado... Perfeito! Vai recebê-lo no Natal.
Eu: - ....

É esta a diferença entre ser ou não ser comercial. Eu definitivamente não sou. E macacos me mordam se não ponho o puto a jogar os Invizimals já este fim-de-semana! Aaaaaaaargh!!!!



Preciso de um homem

É pá... sim, o título é chamativo. Às vezes é preciso puxar por vocês, a ver se vêm cá ao estaminé.

Mas a verdade... é que eu preciso mesmo de um homem! Um homem que vá emigrar ainda em Dezembro ou, o mais tardar, no início de Janeiro.
Um homem que queira falar comigo, para uma reportagem.

Mas... por favor: não é um homem que já tenha emigrado. Não é um homem que não queira entrar numa reportagem. Não é um homem que vá emigrar em Março. Ou Junho. Ou mesmo em Fevereiro. E também não é uma mulher (já tenho mulheres).

Há por aí um amigo homem, que esteja na iminência de emigrar e que queira falar comigo???
Por favor???? (nota-se que estou a ficar um pouco desesperada?)

Emails para: sonia.morais.santos@gmail.com

Antes que desapareçam

Jimmy Nelson, fotógrafo inglês, passou duas semanas em cada uma das diferentes tribos isoladas do mundo, entre 2009 e 2010, num projecto a que chamou: Before they pass away" (Antes que desapareçam)."Em 2009 planeei tornar-me o convidado de 31 tribos isoladas e visualmente únicas. Queria testemunhar as suas tradições antigas, participar nos seus ritos, descobrir como o resto do mundo ameaça transformar a sua vida para sempre. O mais importante: queria criar um ambicioso documento estético fotográfico que resista ao passar do tempo. Um trabalho que constituísse um registo etnográfico insubstituível de um mundo que desaparece rapidamente."
Esta é uma parte do seu extraordinário trabalho. O resto podem ver AQUI.

Nenets, Russia


Himba, Namíbia

Maori, Nova Zelândia

Indonesia

 Huli, Indonésia

Rabari, Índia

Samburu, Quénia

Mursi, Etiópia






PEDIDOS

Isto de fazer de Deus, escolhendo uns em detrimento de outros, não me anda a fazer nada bem. Por isso... cá vão alguns dos últimos pedidos que me chegam. Vocês, que lêem, ajudem todos, só um, nenhum. Façam vocês de Deus agora, que eu, sinceramente, não tenho mesmo jeito nenhum para isso.
A quem pede ajuda... desejo toda, mas mesmo toda a sorte, força e coragem do mundo.

1. Ajudar a Inês. Tem 15 anos e foi-lhe descoberta uma doença muito rara que, além dela, só mais 24 pessoas no mundo têm. A Beatriz, que me enviou o email com o pedido, diz que há esperança para a Inês na Alemanha. Os tratamentos são muito caros. Ela deixa o NIB: 0038 0360 30014094771 15 
DCN - Agência da Senhora da Hora 
Av. Calouste Gulbenkian, 1238 R/C 4460-265 Senhora da Hora
https://www.facebook.com/ines.raiodeluz


2. Ajudar o Daniel. O Daniel tem 7 anos e uma leucemia grave. A irmã não é compatível. Nos bancos nacionais de dadores de medula também ainda não se encontrou ninguém compatível.
Podem fazer o favor de se tornarem dadores de medula, por favor? Para ajudar o Daniel e todos os Daniéis desta vida?


3. Ajudar o Luís Carlos Estanqueiro. 
"O meu nome é Luis Carlos Estanqueiro, tenho 57 anos e sou da Gafanha da Nazaré (Aveiro). Em Março deste ano foi-me diagnosticado cancro do pulmão de estadio IV e após vários tratamentos de quimioterapia o tumor não me deu tréguas e esta não surtiu qualquer efeito. A minha única esperança neste momento reside num tratamento à base de células dendríticas na Alemanha na clínica de Dunderstadt, que tem tido resultados bastante animadores e uma taxa de sucesso muito grande em tumores semelhantes ao meu. Para que tal aconteça venho pedir a vossa ajuda, pois os tratamentos são demasiadamente dispendiosos e neste momento não tenho condições económicas para tal e só com a ajuda de todos poderei fazê-lo. A todos o que lerem esta mensagem e puderem contribuir seja financeiramente seja divulgando, ficar-vos-ei eternamente grato. Hoje por mim, amanhã por vós.
Donativos para o NIB 0010 0000 5044021000121 (transferência nacional) e IBAN PT50 0010 0000 5044 02100012 1 (transferência internacional) e BIC: BBPIPTPL


4. Ajudar os serviços de Neonatologia do Hospital de Aveiro, com roupas para os bebés prematuros. Link da página do facebook: https://www.facebook.com/groups/470781063041812/


5. Ajudar a D. Fátima, professora de profissão e que se dedica a recolher animais abandonados por pessoas sem coração. Neste momento ela está a passar por grandes dificuldades. Aqui fica a página: https://www.facebook.com/fatima.refugio 

Meias

O pior de tudo de não ter a santa Emília há duas semanas?
É uma longa lista. Mas talvez o que me complique mais com os nervos seja... as meias. Tirar as meias do estendal e emparelhá-las. Ou emparelhá-las quando estou a estendê-las. Odeio, odeio, odeio. Há umas mais pequenas, umas mais ruças, umas mais azuis, umas que são pretas mas parecem azuis, umas que são azuis mas parecem pretas, umas mais grossas, outras mais finas... ODEIOOOO MEIAAAAAS!!!!! Sempre que tenho esta tarefa pela frente (meias de 5 pessoas é muita meia) fico sempre à beira de me passar da marmita e atirar tudo para o lixo. Aaaaaaaaargh!!!




Pág. 1/17