Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Obrigada!

Depois de termos jantado o melhor sushi das nossas vidinhas, no restaurante Kobe, e antes de irmos dançar para uma discoteca da moda, queria só deixar uma palavra de agradecimento profundo à minha mãe, que me ficou com os miúdos. Avó querida e empenhada, que organizou ementas variadas para os seus netos, que se preparou para os dias com eles, e que me repetiu ao telefone mil vezes que estava tudo bem, para não nos preocuparmos. Como se fosse possível preocuparmo-nos. Como se não soubessemos que eles estavam em óptimas mãos!
Obrigada, mãe, por teres ficado tão contente por teres a missão de cuidar deles. Por seres a guardiã das nossas jóias, e uma guardiã feliz e convicta.
Hoje ficámos muito divertidos, porque além da minha mãe, estavam também, na nossa casa, a minha irmã (que vai render a minha mãe no fim-de-semana), e os meus sogros. Todos a jantar, com os miúdos. E, às nove da noite, falámos com todos ao telefone, um a um. Meninos, mãe, sogros. Uma rambóia na nossa casa. Uma alegria saber que os nossos filhos podem juntar, mesmo sem a nossa presença, os avós de ambos os lados. Uma felicidade que nem vos digo.
Obrigada, mãe. Muito obrigada. Por os teres vestido de manhã, pelos pequenos-almoços, pelos banhos, pelos jantares, pela ajuda nos trabalhos de casa, pela paciência, pelos dentes lavados, por tudo.
Obrigada mana e cunhado, pelo segundo round que aí vem. :)
E obrigada também à prima Cristina que, todas as manhãs, as 8.30, foi buscar os dois rapazes para os levar ao colégio (enquanto a minha mãe ficava com a pequena Mada, a dormir sossegadinha). Prima do coração que, grávida do seu Vasquinho, levantou-se estes três dias mais cedo da cama para cumprir o papel que lhe foi atribuído, nesta missão conjunta.
Obrigada por perceberem como isto é importante para nós.
E agora vamos embora, dançar até que os pés me doam.

Peixes nos pés


Ora bem, a ver se explico: as pessoas entram para esta loja, descalçam-se, metem os pés neste aquário que está na montra e... ficam a olhar para os peixes que logo lhes rodeiam os pés... A loja também tem massagens tailandesas e, por isso, creio que seja um costume tailandês mas... nunca tinha visto tal coisa, confesso a minha ignorância. Uma coisa é certa: mete-me um bocado de nojo (para não dizer muito nojo) enfiar os pés num tanque onde toda a gente enfia. E os peixes comem o quê dos pés das pessoas? Chulé? Nojo muito nojo.

Pág. 1/8