Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

E agora para algo completamente diferente...

... já viram a Fátima Lopes, da SIC? Está tãooooooo magrinha, tãooooo magrinha... Querida Fátima: não quer dizer aqui à cocó, que gosta tanto de a ver trabalhar, como foi que ficou nessa elegância maravilhosa? Já sei que não é daquelas hipócritas que diz que foi Deus nosso Senhor que decidiu ser generoso e puf! Voilá! Já li que fez dieta e exercício e que um médico ajudou. Foi? O doutor Álvaro Roriz é mesmo bom? Fátimaaaaaaaa! Se tropeçar neste cocó diga aqui à menina como ficou tão magrinha. Eu também querooooo!

O Vestido

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5475982941381073282" />
Queridíssimas pessoas:
Este foi o meu vestido no dia do recasamento. Da BCBG, é sempre bom lembrar. Infelizmente, eu não sou tão elegante como a senhora que apresenta o vestido na foto. Mas ainda não tenho uma única foto do evento. De modos que fica esta, para saciarem a vossa curiosidade, sim?
É só imaginarem este mesmo vestido com uma pessoa com um pedacinho mais de intestinos (e nádegas) dentro dele e ficam com uma imagem bastante fiel.

Moet & Chandon/ Vitalis

Ontem os nossos amigos Sónia e Nuno começaram a enviar-nos mensagens logo de manhãzinha: "Hoje é que vai ser". Depois, daí em diante, as mensagens foram em crescendo: "Sessão exclusiva para adultos à beira mar". "Sessão exclusiva para crianças". Mais ao fim do dia, puseram-se a apressar-nos: "Peçam o Room Service para os miúdos e vão pôr-se bonitos um para o outro". E por aí fora.
A páginas tantas, uma babysitter bateu à porta. Iria ficar com os três miúdos. Uma nova mensagem informou: "Vão para o restaurante mais perto da praia". E nós lá fomos.
O jantar, oferecido por estes grandes queridos, vinha acompanhado de uma garrafa de Moet & Chandon que eu mirei, com tristeza e agonia. Consegui apenas dar um golinho e senti logo as minhas entranhas todas reviradas. É só para terem uma ideia do efeito que os shots do recasamento tiveram no meu corpinho. Bebi aguinha Vitalis, que foi um regalo. Será que isto alguma vez me vai passar ou tornei-me abstémia por altura dos meus 10 anos de casada? Que lindo...

A vocês os dois... o costume: obrigadaaaaa!

Passatempo Pé de Roupa

Pessoas: como estou de lua-de-mel e feliz para catatau, dizer que podem escrever umas frases lindas sobre aquela fotografia das meninas em fato-de-banho até domingo à meia-noite. O prazo já tinha acabado e a quem o cumpriu, um respeitoso obrigado. Mas a felicidade dá-me para ser generosa e por isso, toca a aproveitar! Não se esqueçam que a Pé de Roupa tem fatos de banho liiiindos de morrer (além de tudo o resto, claro). Vá, inspirem-se. E boa sorte. Agora vou ali... fazer o quê, o quê, o quê? Isso mesmoooo! Dar mais beijinhos na boca.

Re-casamento, re-lua-de-mel e re-ssaca

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5475292333839002418" />
Pois é, minha gente, a festa foi linda e maravilhosa. Praticamente todos os nossos amigos, um pôr do sol bonito, o rio em frente. E os mariachis, outra vez, a tocarem para nós, tal como no dia 20 de Maio, há 10 anos. E depois a minha surpresa para ele, tão gira: uma revista tipo Caras, com toda a nossa história. Quem fez foi uma empresa maravilhosa (O Livro da Minha Vida), que tem gente espectacular, cheia de criatividade e com quem foi um prazer "trabalhar" durante mais de um mês. 66 páginas cheias de fotografias, cheias de histórias, dos primeiros dias de namoro ao casamento propriamente dito, sem esquecer o nascimento de cada um dos filhos, e as surpresas de cada um, e as viagens, e tudo e tudo e tudo. Além de ter sido esse o meu presente para o meu remarido, foi também oferecido um exemplar a cada casal ou convidado sem parelha.
Depois do meu discurso lindinho e de ele ter ficado com aquele sorriso enorme (não chorou, o que é uma pena), fomos jantar. Uma palavra amiga aos senhores do Água e Sal, que puseram as mesas com flores e arranjaram tudo e guardaram os segredos de ambos os renoivos com a própria vida.
A seguir ao jantar, fui retida na casa-de-banho por um conjunto de amigas malucas, que até vinho me trouxeram ao WC, enquanto na sala se passava "algo". Uma meia hora depois, pude entrar. E foi então que passou numa tela gigante um filme, espectacular, surpresa dele para mim, em que todos os amigos (ou quase) disseram coisas giras sobre nós. Tinha também fotografias nossas, músicas, imagens do casamento e eu ri e chorei e senti o coração carregadinho de felicidade. No fundo, ambos fizemos a mesma surpresa um ao outro, só que em suportes diferentes. E sim, ele teve uma trabalheira inacreditável, porque andou atrás de tanta, tanta gente, para que todos fossem filmados a falar sobre nós. Um abracinho grande à Cristina, que também se fartou de bulir, e a todos os amigos que se disponibilizaram a dizer coisas tão divertidas. Na edição do filme (feita pelo editor de imagem João Pico - obrigada, obrigada, tão lindooooo!) foram cortados alguns testemunhos giríssimos (porque não cabia tudo, a menos que ficasse um filme a la Manoel de Oliveira) mas não se apoquentem amigos, eu ando a ver os vossos filmes em bruto e estou a amar!
Depois das lágrimas e de abracinhos e beijinhos, o bolo. E nessa altura... mais uma surpresa... um anel. De ouro branco, com 10 brilhantes numa argola giratória, que correspondem aos nossos 10 anos sempre em movimento. O que dizer? Ele consegue sempre superar as minhas melhores expectativas. É o maior.
A seguir o DJ pôs músicas dos anos 80, dançámos, e por fim... bebi uns shots a mais e acabei com a maior ressaca da história. Posso dizer que já passaram três dias e ainda me dói um rim. Mas adorei a nossa festa. E tenho a certeza absoluta que fomos feitos um para o outro.
Agora estamos em re-lua-de-mel. Num quarto com vista para o mar. Com a vista que se vê na fotografia. Um presente dos amigos Sónia e Nuno, esses "terroristas do amor" (o que eu me ri com aquilo, pá!). Agora que já vos pus a par das novidades, vou ali comer um peixinho grelhado, devidamente acompanhado com água mineral. Sim, porque nos próximos tempos não quero nem ouvir falar em bebidas com álcool. E depois vou dar beijinhos na boca, que é o que se leva desta vida.

P.S: Eu sei... eu sei: tanto amor dá um bocado de náuseas. Ai, estão sempre felizes, ai aos beijinhos, ai é só meles, ai ca noiiiiiiiijo! Deixem lá, qualquer dia destes posto qualquer porcaria azeda e zangadinha. Agora não consigo. Estou mesmo enjoativamente apaixonada e feliz. Desculpem lá qualquer coisinha. E, em caso de grómito, é comprar um Kompensan.

A fotografia

O autor da foto que está em baixo (sim, somos nós dois, há dez anos, na Rua da Trindade, em Lisboa) é o queridíssimo Artur Lourenço. Um fotógrafo maravilhoso, que conhecemos num casamento de uns amigos e que se tornou o "nosso" fotógrafo, eleito para registar o dia mais importante da nossa vida, e que tirou fotografias lindas, lindas, lindas... como esta. Nada de poses, nada de "olha o passarinho", ninguém ficou com caimbras de sorrir de modo forçado. Porque ele é repórter. E, por isso, fez a reportagem do nosso casamento, apanhando os melhores momentos de cada um.
O Artur é um querido. Porque além de ser bom fotógrafo, é um encanto de pessoa. E diz sempre que nós somos os seus "noivos preferidos".

Há vários meses, ainda nós não tínhamos a certeza de ir fazer uma festa de 10 anos de casados, perguntámos ao Artur se podíamos contratá-lo. Ele disse que sim, logo, contente. Mas depois surgiu-lhe uma marcação, um casamento, e nós não o podíamos "reservar" sem termos a certeza se a festa iria, realmente, para a frente. Por isso, decidimos não levar nenhum fotógrafo. Com as máquinas digitais, entre um habilidoso e outro jeitoso (e temos dois fotógrafos profissionais e de renome no evento) havia de surgir alguma coisa de jeito.

Mas... os nossos amigos Lagoas, gente boa e como se fosse da família, decidiram oferecer-nos a reportagem fotográfica do recasamento. A Rute ligou, a perguntar se nos importávamos de ter um senhor a fotografar. Que era o presente que gostavam de nos oferecer. Fiquei comovida. Que ricos amigos que temos...

Daqui a mais umas horas lá vamos, para a nossa festa. Daqui a nada vou para o cabeleireiro (bah, que secaaaaa), onde me vão tratar dos cabelos, das unhas, e da fronha, maquilhando-me de modo a que fique - preferencialmente - mais gira do que sou. E depois vou enfiar-me no meu vestido lindo de morrer. E vai ser bonita, a festa, com surpresas dignas de filme. Espero.

Passatempo Pé de Roupa

id="BLOGGER_PHOTO_ID_5472913106513491618" />
Ora cá vem mais um lindo passatempo da Cocó em animada parceria com mais uma loja maravilhosa de Campo de Ourique, de seu nome Pé de Roupa (Rua Tomás da Anunciação, 5B).
A ideia é a seguinte: vêem a foto em cima? Com umas meninas de ar cool, super coquetes nos seus lindos fatos de banho? Pois bem. O desafio é escreverem uma frase/composição/poema/romance sobre a foto e enviarem para o email cocofralda@gmail.com. A participação mais gira, mais original, mais tudo ganha um fato de banho, para menina ou menino, consoante o gosto do freguês, num dos padrões da marca (desde que existam em stock). São todos liiiindos! E podem vê-los aqui.
Boa sorte!
Ah! Têm até sexta-feira à meia-noite!

E não é que...?

... que o vestido da BCBG me ficou lindamente??? Que até teve de ser apertado??

Ia sem esperança. Cabisbaixa. Desanimada. Depois de todas as lojas que já palmilhei, depois de tantos provadores onde entrei e de onde saí com a auto-estima em frangalhos, pensei: Para quê? Para que é que a senhora, amorosa, da BCBG, mandou vir um número para mim, de propósito, do Porto? Para quê? Para a humilhação ser maior? Para nos rirmos às gargalhadas, da minha figura?
Entrei na loja e ela sorriu-me. Eu sorri-lhe de volta e disse: "Cá estou para a derradeira humilhação. É mesmo a última." Ela pegou no vestido, riu-se e atirou, com uma certeza quase próxima da adivinhação: "Vai ver... vai ver como até vai ter uma grande surpresa! Oiça o que lhe digo!"

Quando ela fechou a cortina do provador confesso que pensei, de mim para mim: "Uma surpresa vais ter tu, quando vires aqui a texuga dentro do vestido!"

Despi-me, sem pressa nem entusiasmo. Vesti-me, usufruindo dos últimos momentos de nano-micro-esperança. O sacana do vestido era lindo. Enfim. Sobe-o, aperta-o... enfrenta o espelho... Oh lá? Mas... mas... mas...

A funcionária pediu para entrar. Ajudou a apertar e exclamou: "O que é que eu lhe disse? Hum? Até vamos ter de o apertar, que está largo!"

Ia chorando. Fica-me bem! Ok, pessoas que vão ao recasamento: nada de imaginarem a Cláudia Schiffer, tá? É um vestido, não é uma cirurgia plástica! Mas... é lindo. E não me faz mais texuga do que já sou, coisa que tem acontecido com frequência.

Quinta-feira vou fazer a baínha, com os sapatos. E vou provar se ficou bem, o ajuste. E vou agradecer, pela milionésima vez, à dona Maria José, da BCBG da Rua Castilho, por ter sido tão querida e por me ter ajudado e por ter acreditado em mim.

Gastei muito mais do que queria, é certo. Mas não se faz 10 anos de casada todos os dias. E se há uma coisa que eu tenho aprendido com a vida e, sobretudo, com a profissão que eu tenho, é que todos os dias podem ser os últimos. Todos os dias podemos sair de casa e levar com uma grua nos cornos, com um camião TIR nos dentes, ou podemos nem chegar a sair de casa porque pode vir um sismo e encaixar-nos o andar de cima na mona. Fazer 10 anos de casada, nos dias que correm, é quase equivalente a completar as bodas de ouro. E, sobretudo, quando se é tão feliz e apaixonado como nós somos, este é um dia que deve ser comemorado como deve de ser. Por isso, sim. Mereço o caraças do vestido. Merecemos um dia fantástico. E eu estou muito contente por ter cabido nele. Ólarilolela.