Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Feliz Nataaaaaaaaal

Entre a azáfama das compras, presentes para toda a gente, as lufa-lufas dos cozinhados (ficámos de levar sobremesa de colher) vão passando os dias. Este ano o Natal é em casa da prima Cris, que, por sorte, fica do outro lado da rua, a dez passos da minha. Há nove anos que é assim: ora na nossa casa, ora na dela. Seremos, este ano, 21 à mesa. A tia Marquinhas já não estará connosco, é o primeiro Natal sem ela, mas a Madalena, por outro lado, chegou ao mundo e será a sua estreia.
Os rapazes vão de calçãozinho, todos pipocas, ela vai de vestido de xadrez, muito princesinha.
Cada um de nós tem um amigo secreto a quem comprou presente. É a primeira vez que fazemos isto mas parece-me bem porque somos cada vez mais. Temos sorte, cá em casa, porque nos nove anos de casados, conseguimos sempre juntar a minha família e a família dele, quer na noite de 24, quer no dia 25. Gosto da azáfama, da mesa enorme, de estarmos todos juntos.
A todos os leitores do Cocó, um muito Feliz Natal!

:( ????

Sabem quando têm alguma coisa e não conseguem descobrir o que é? Uma angústia, uma coisa que mói, assim uma sensação de que algo não está bem, e é tão lá dentro que ainda não perceberam o que é, de onde vem? E depois, de repente, ah! era isto que me incomodava!
Já sentiram?
Eu estou assim.
Uma neurazita inexplicável, aparentemente infundada, um je ne sais quoi dentro do peito, uma vontade de suspirar a todo o momento, pouca disposição para rir. E, no entanto, não sei o que é.
Isto de ser gaja tem muito que se lhe diga, é o que é.

Madalena, a nómada

E hoje, lá voltámos à estrada. Eu, o fotógrafo Gonçalo Fernandes Santos, a minha irmã (babysitter nas horas vagas e com muitos quilómetros no pêlo, benza-a deus) e a Madalena, que vem agarrada a mim como uma carraça, pela simples razão de que mama de três em três horas e eu sou a sua vaquita particular.
De modos que, às oito da matina estávamos a arrancar de Lisboa rumo aos Algarves, por estradas secundárias, com muitas paragens pelo caminho, e de modos que chegámos a Albufeira às 14.30, hora a que almoçámos e recarregámos baterias. Fomos até Tavira e às 18.30 iniciámos a viagem de regresso. Voltaram a ser mais de 700 quilómetros num só dia, aqui a cocó sempre ao volante, e a Madalena portou-se maravilhosamente. A reportagem não correu como desejávamos. Vamos ter de fazer mais uma maratona, dentro de dias. Mas o Gonçalo tirou as melhores fotografias que a Mada tem. Um portfolio fantástico, mas mesmo fantástico! A prova de que, afinal, não é ela que não é fotogénica. Os fotógrafos aqui de casa é que são muito maus. E o Gonçalo é muito, muito bom! E, uma vez mais, revelou-se um tio muito querido. O mais incrível foi o charme que ela se fartou de lançar para ele... raça do rapaz parece que tem mel! Obrigada Gonças. Não tarda, lá voltamos à estrada.

A tia Pipoca


A tia Pipoca diz que não gosta de crianças.
A tia Pipoca embirra com as criancices das crianças e eu, na verdade, até a percebo.
A tia Pipoca às vezes fica estática a olhar para os miúdos, entre o pavor, o nojo e a vontade de os estrangular. Os meus filhos, que adoram visitas e não sabem que ela tem esta característica, sempre que a vêem ficam completamente parvos, aos saltinhos e a dizer coisas tontas, num completo overacting, justamente aquilo que ela não suporta.
Mas a tia Pipoca não se cansa de dar presentes à pequena Mada. Da primeira vez foi uma saca cheia. Ontem, no jantar de Natal da Time Out, estendeu um embrulho e avisou: "É um vestido bem pirosão, mesmo à tia Pipoca!" E era este vestido tão fofinhoooooooo. Mada já experimentou e fica de se comer. Na passagem de ano, pequena Madalena já tem traje de gala.

Obrigada tia Pips! Mas não prometo que consiga não ser parvinha mal comece a falar. Tá?


Nota: Na imagem não dá para ver, mas o vestido é em tafetá e tem uma saia de tule por baixo, que aparece um bocadinho... que amooooor!

Prazo estendido

Ainda têm até amanhã para enviar os textos sobre o Natal, crianças!
Não são cartas ao Pai Natal, com pedidos, porque a malta na rádio não pode fazer publicidade. Mas sim textos sobre a magia do Natal, a árvore, os enfeites, o bacalhau, o peru, as rabanadas, os presentes, a família, etc, etc.
Se têm por aí criançada que goste de escrever, força! Já temos várias cartas e os miúdos vão lê-las na rádio. Há por aí mais algum criativo?
Os textos têm de chegar até amanhã. sonia.morais.santos@gmail.com

Vem viver a vida amor

Grande Cid!!!
Ontem fui ao Campo Pequeno, com os meus amigos Sónia e Nuno, e com a minha irmã (a substituir o meu homem, coitadinho, que ficou doente e não conseguiu ir) ver o José Cid! Grande concerto, sala cheia, tudo a cantar.
Vem, viver a vida, amor
Que o tempo que passou
não volta mais
Sonhos que o tempo apagou
mas para nós ficou
esta canção!
E o Aufiderzin Googdbye, e como o macaco gosta de banana, e a cabana junto à praia, e as favas com chouriço, e cai neve em Nova Iorque, e tudo e tudo e tudo.
E salta Cid e salta Cid olé, olé!

Foram convidados o fadista João Ferreira Rosa, Herman José, Rui Pragal da Cunha.
E salta Cid e salta Cid olé, olé!

Virgem?

Está na televisão uma senhora que é virgem, com muito orgulho.
Eu cá respeito, como respeito todas as opções.
Mas mete-me... pena, pronto.
A rapariga tem 27 anos e diz que está intacta porque tem medo, porque não está preparada, porque ainda não chegou o momento.
A vida está a passar e a moça nunca cambalhotou, nunca sentiu aquele frémito percorrer-lhe a espinha...
Ele há coisas...
Oh, c'um caraças.

Cartas ao Pai Natal

O Portugal dos Pequeninos, programa da Antena 1 de que sou autora, e que conta com a preciosa produção de Joana Jorge, está a pedir às crianças que já saibam escrever para nos enviarem cartas sobre o Natal. As melhores ganham um presentinho e serão lidas na rádio pelas próprias crianças.
Quem tem filhos por aí, quer participar? Os textos sobre o Natal têm de chegar até segunda-feira, dia 14.
Podem enviar para: portugal.pequeninos@rtp.pt
Ou para: sonia.morais.santos@gmail.com

Inspirem-se, crianças!

Pág. 1/2