Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cocó na fralda

Cocó na Fralda

Peripécias, pilhérias e parvoíces de meia dúzia de alminhas (e um cão).

Alice, estamos à tua espera!

FullSizeRender-2.jpg

Já sei da tua existência desde o Natal mas obrigaram-me a um prolongado silêncio.

Porém, festejo-te há meses, e agora que sei que és uma menina e que já tens nome, festejo-te por inteiro, com outra intensidade, porque um nome, parecendo que não, já revela identidade, forma, peso, substância. Existência, enfim.

Querida sobrinha, cá te esperamos, com a alegria que sempre oferecemos a quem chega. 

Parabéns, querida irfilha por mais esta felicidade. Parabéns querido cunhado. Parabéns, sobrinho João, por ires ser o mano mais velho. Ficaremos - também nós - mais próximos. Porque também eu sou mana mais velha. Une-nos, a partir de agora, mais essa circunstância tão boa da vida. 

Amo-vos a todos.

Eu, miúda a tentar fugir aos esterótipos

FullSizeRender.jpg

 

Está tão crescida. 

Tão oscilante entre o mundo feminino e o mundo masculino, não compreendendo ainda que isso não existe, não tem de existir. Não há o lado "deles" e o lado "delas", com excepção das casas de banho e das alas nos hospitais. Mas, de resto, tento explicar-lhe que pode jogar futebol e gostar de colares e laçarotes; que pode ser "one of the guys" marcando golos nos recreios, mas também pode ser "one of the girls" quando conversa aos risinhos nos cantos sobre as coisas das raparigas (whatever that is). Ela ainda acha que tem de escolher um dos lados, como se o outro fosse o inimigo. "Se eu brinco com as meninas os rapazes gozam-me, como as gozam a elas. E eles a mim não gozam, porque eu estou sempre a jogar à bola com eles. E eu gosto. Gosto muito de jogar futebol e de brincar com os rapazes. Mas às vezes também tenho vontade de estar com as meninas..." 

Incrível como ainda hoje isto se põe. Como este tipo de questões ainda é actual. Incrível como os estereótipos ainda têm tanta força. Como um rapaz se sente excluído se não joga à bola e se brinca com as meninas. Como uma menina se sente excluída se gosta de bola, ou se sente perdida se porventura gosta de tudo, quer tudo. Porque é que não havemos de ter tudo? Porque é que não podemos gostar de bola e de bonecas, sejamos raparigas ou rapazes? Porque raio é que isto ainda existe, porque é que nasce espontaneamente nos recreios das escolas, criando sentimentos de exclusão, de não pertença, de confusão, quando não tem de haver confusão alguma. Porque simplesmente não é preciso escolher um lado, um interesse, um caminho. A vida é tanto melhor quanto mais caminhos pudermos ter na vida. Quantos mais interesses, gostos, amigos, escolhas. 

 

Clube de Leitura: dúvidas

Surgiram algumas questões sobre o Clube do Livro, pelo que deixo aqui as respostas.

 

Como faço para me inscrever?

Quando ponho o post sobre o encontro do Clube de Leitura coloco também um formulário de inscrição (ver exemplo aqui). Como já só falta uma semana para o próximo encontro, já não vale a pena inscreverem-se. Apareçam, com o livro sobre o qual quiserem falar, e pronto. Para o próximo mês é só não perder o formulário de inscrição, que dá jeito só para se fazer uma ideia sobre quantas pessoas irão e quais os livros que estarão em discussão.

 

E se tiver inscrito um livro mas entretanto tiver mudado de ideias e lido outro?

Não há qualquer problema. Até podem levar dois ou três livros, de que gostassem de falar. Não há rigidez neste formato. A ideia é conversarmos sobre livros! Se é um, se é outro... é um simples indicador. 

 

E se não tiver conseguido acabar de ler o livro? Mais vale remeter-me à minha insignificância e ficar em casa?

Disparate! Vamos embora! Podemos sempre falar dos livros, ainda que não os tenhamos acabado. Por exemplo, ainda não acabei o "Jesus Cristo Bebia Cerveja" e já tenho TANTA coisa para dizer sobre ele! O que interessa é ir e participar!

 

Sou muito envergonhada. Gostava de ir mas não tenho coragem de falar.

Venha daí! Fica caladinha, só a ouvir. Quem sabe não se sente depois à vontade para também dizer de sua justiça? Ou então não, fica mesmo só numa de absorver, que também é bem bom.

 

Clube do Livro Cocó na Fralda: dia 5 de Maio, 19h, na Fnac do Colombo!

Matchy-matchy no Dia da Mãe

Acho muita graça à ideia de ter uma ou outra peça de roupa igual à dos meus filhos. Os pequenos, bem entendido! Que se propusesse tal coisa aos mais velhos era razão para me fazerem aquele revirar de olhos tão gostoso.

À semelhança do que aconteceu no Dia do Pai, a Knot lança agora uma edição especial mães e filhos em matchy-matchy. E eu já tenho a minha! Só vou poder usar à tarde (porque no Dia da Mãe vou passar a manhã inteira no meu primeiro triatlo - meeeeedoooooo!) mas acho que vamos ficar em modo fofinho-queriducho com t-shirts iguais.

Se também acharem graça a esta combinação de mães e filhos, aproveitem! A Knot e a vossa Cocó oferecem 10% de desconto nesta edição especial. Basta que insiram o código COCONAFRALDA10% quando estiverem no site da marca. Podem usufruir deste desconto a partir de hoje até ao dia 7 de Maio (Dia da Mãe).

KNOT_SS17_Mothersday_01.jpg

 KNOT_SS17_Mothersday_06.jpg

  KNOT_SS17_Mothersday_07.jpg

 

Podem ver mais AQUI.

 

 

 

 

 

Será mesmo incondicional, o amor pelos filhos?

Sempre que há um homicídio daqueles mediáticos, uma das primeiras coisas em que penso é nos pais do homicida. Dói-me a vítima ou vítimas, claro. Mas logo de seguida os meus pensamentos vão para os pais de quem fez o acto tresloucado. Porque penso: "e se fosse eu? E se o filho fosse meu?"

Onde quero chegar é a este ponto (que por acaso foi hoje abordado numa conversa promovida pela Alexandra, da Nheko, para a qual fui convidada): será o amor pelos filhos real e verdadeiramente incondicional? Ou tem um limite? Ou pode ser abalado por coisas que eles façam e que nos mirrem o amor dentro do peito, transformando o coração, órgão vermelho-vivo, gordo, e pululante, numa espécie de passa engelhada e seca? 

Se eu descobrir que um dos meus filhos é um agressor da pessoa com quem vive, como vai ficar o meu amor por ele? Se ele for um nacionalista, adepto do ódio racial, xenófobo, como poderei amá-lo do mesmo modo como amo hoje? Se ele dizimar uma família inteira (ou um único ser humano, ou um cão, ou gato) como poderei encontrar dentro de mim o afecto, a ternura, a imensidão do amor que tenho por ele?

Como farão os pais quando descobrem que os filhos que amam são, contra todas as expectativas, monstros?

Que sentimentos lhes crescerão dentro do peito, como ervas daninhas? Como não sentir culpa, sentir que se falhou, que se falhou tão redondamente? Como fica, pelo caminho, o amor próprio, depois de aquilo que devia ser o melhor deles se revelar, afinal, o pior?

Como conseguir a dignidade da árvore, que se mantém inteira mesmo quando um fruto apodrece?

 

Pergunto-me muitas vezes o mesmo.

E nunca encontro resposta.

E, na verdade, espero nunca encontrar. 

Venda no Mercado de Oeiras

CartazFeira_3.jpeg

Têm tralha a mais lá em casa, mas que pode ainda ser útil a muita gente? Já não usam 12 pares de calças que continuam lá pendurados a ocupar espaço? Têm casacos a mais, pulseiras que não usam desde 1984? Têm uma pequena marca e querem mostrar e vender as vossas produções maravilhosas? Esta oportunidade é para vocês! (gostam do tom Televendas?)
No dia 6 de Maio, podem ter a vossa própria banca no Mercado de Oeiras, por apenas 10€, onde podem vender tudo o que vos der na bolha. 
Os lucros são para vocês. A única coisa que é para as Guias de Oeiras é o valor da venda das bancas.
Tenho duas queridas meninas, filhas de uma menina também muito querida, que andam nas Guias de Oeiras e querem muito ir aos Açores. Em vez de pedirem dinheiro aos pais, andam a trabalhar, para angariar os fundos necessários. Vendem rifas, fazem vendas, inventam maneiras de acumular o valor necessário. Gosto muito da ideia do esforço para se chegar onde se quer (e de não serem sempre os pais a bancar tudo). Assim, tenho todo o gosto em ajudar, divulgando. 
Deixo algumas informações relevantes:
 
Data 
6 de maio de 2017
 
Local 
Mercado Municipal de Oeiras
Largo 5 de Outubro ‪2780-225‬ Oeiras
 
Horário de montagens das bancas
9h às 10h

 

Horário da Feira
10h às 18h 
 
Horário de Desmontagens
18h às 19h
 
Pagamento
Pagamento de 10€ até dia 30 de abril.
IBAN: PT50 0035 0772 0000 2632900 02
O pagamento só fica contabilizado após o envio de comprovativo para o e-mail 2ciaoeiras@gmail.com
 
Condições
Todo o montante conseguido com as vendas reverte inteiramente para o titular da banca.
 
Banca
Cada banca tem cerca de 80 centímetros de largura
Disponibiizamos duas cadeiras por Banca
Cada banca tem uma estrutura metálica por cima que pode ser utilizada.
O espaço tem fichas elétricas pelo que conselhamos que em caso de necessidade tenham convosco extensões elétricas.
 
Inscrição
Incrições até ao dia 30 de abril e sujeitas a disponibilidade de espaço.
Para efetuar a inscrição necessitamos de algumas informações que pedimos que nos enviem com alguma brevidade:
 - Nome da banca
 - Nome do responsável
 - Telefone
 - E-mail
 - Outras informações relevantes
A inscrição só fica finalizada com o pagamento e o envio do respetivo comprovativo
 
 
Em caso de dúvidas ou para mais informações, não hesitem em contactar-nos através do e-mail 2ciaoeiras@gmail.com ou ‪912 926 996‬.
 
Obrigada e boas vendas!

 

Para mais tarde recordar

Obrigada, alboompic!

É um daqueles miminhos que sabe mesmo bem, sobretudo porque uma pessoa tira imensas fotos e depois raramente lhes volta a pôr a vista em cima. É o mal do digital. Ou as imprimimos ou passam a ser uma espécie de memória guardada, que podemos visitar, é certo, mas que raramente visitamos. Estes álbuns são a solução para que o digital, que é tão bom, se torne ainda melhor (porque se torna físico).

FullSizeRender-9.jpg

FullSizeRender.jpg

FullSizeRender-8.jpg

FullSizeRender-7.jpg

FullSizeRender-6.jpg

 alboompic

Clube de Leitura: dúvidas

Tenho recebido algumas perguntas sobre o Clube de Leitura, pelo que deixo aqui as respostas.

 

Como me posso inscrever?

Geralmente no post que faço a anunciar o próximo Clube de Leitura coloco uma ficha de inscrição, onde as pessoas põem o seu nome, email, contacto telefónico, e o livro que se comprometem a ler. Como já falta uma semana para a próxima apresentação, a quem queira aparecer sugiro que esqueça a inscrição e simplesmente apareça. Pode não falar do livro que leu este mês mas de um livro que tenha sido marcante, por qualquer razão. Ou pode ir só para ouvir, e retirar ideias para novas leituras. Vamos tentar não ser spoilers.

 

E se me tiver inscrito, se não tiver gostado do livro que me comprometi a ler mas tiver lido outro. Há problema?

Claro que não, minhas boas almas. Podem ler o que vos apetecer. O livro com que se inscreveram é só um caminho, para termos uma ideia. Mas se o odiarem não têm de ficar presos a ele, era o que faltava. Isto é suposto ser para dar prazer, não para ser um tormento!

 

Se tiver lido dois livros num mês, posso levar os dois?

Claro! Ou três, ou quatro! 

 

E se não tiver acabado o livro mas estiver a gostar muito e até tiver coisas para dizer?

Vamos embora! Podemos sempre falar de um livro, mesmo que ainda não o tenhamos terminado. Podemos dizer o que estamos a achar e que expectativas temos para o desenlace. Até pode deixar água na boca, para numa próxima edição sabermos qual foi, afinal, o desfecho da história.

 

 

Dia 5 de Maio, na Fnac do Colombo, às 19h, lá vos espero.

Clube de Leitura: que tal estamos, pessoas inscritas?

Faltam 9 dias para o nosso encontro, na Fnac do Colombo.

Que tal estão as vossas leituras?

O meu livro está a mais de meio (tive de ler outro entretanto, para o poder apresentar) e adoro-o, amo-o de paixão. Está todo sublinhado, anotado, devorado. Afonso Cruz é o meu novo ídolo literário.

 

"Os bombeiros deviam andar a combater o fogo, o elemento de Heráclito. Em vez disso, lutam contra o tempo. Uma luta quimérica. Para combater o fogo usam o seu grande inimigo, a água, mas para combater o tempo só têm uma maca, um medidor de tensão e uma garrafa de oxigénio. E, claro, os velhos continuam a morrer. Os bombeiros deveriam ter mangueiras a deitar juventude, deveriam andar a apagar a velhice." ❤

 

Se ainda estiverem longe de terminar os vossos livros, tentem dar um boost agora.

Se virem que não conseguem mesmo terminar, apareçam mesmo assim. Podem dizer o que estão a achar do vosso livro, podem avançar com expectativas (que depois, mais tarde, saberemos se foram cumpridas ou goradas), podem ir só para escutar os pareceres sobre os outros livros lidos.

Vou ter uma ou outra surpresa.

E conto convosco!